No rastro do crime ambiental nas praias do Nordeste
01 de novembro de 2018, 18h04

ONU aprova resolução pelo fim do bloqueio a Cuba, com 189 votos contra 2

Chanceler Bruno Rodriguez afirma que bloqueio viola direitos humanos da população cubana; Israel e Estados Unidos votaram contra

Miguel Díaz-Canel: “As pessoas do mundo votaram em Cuba porque sabem que nossa causa é verdadeiramente justa. Cuba é respeitada” – Foto: Reprodução/YouTube

A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou nesta quinta-feira (1) uma resolução que solicita o término do bloqueio econômico dos Estados Unidos contra Cuba, que acontece desde os anos 1960. Por 189 votos a favor e 2 contra, a medida foi debatida e aprovada pela 26ª vez consecutiva. Os únicos países que votaram contra foram Estados Unidos e Israel, sem abstenções. Moldávia e Ucrânia e Moldávia não votaram, mas não abstiveram também, e não entram na contagem. O Brasil votou a favor do texto, de acordo com informações do OperaMundi.

Miguel Díaz-Canel, presidente cubano, usou sua conta no Twitter para comemorar a notícia: “Vitória da nossa Cuba. Os Estados Unidos sofrem dez derrotas em uma. As pessoas do mundo votaram em Cuba porque sabem que nossa causa é verdadeiramente justa. Cuba é respeitada. Por Fidel e Raúl, pela revolução e pelo povo cubano”.

O embaixador cubano na ONU, Bruno Rodríguez, afirmou que a continuidade do bloqueio é uma “violação flagrante” contra a ilha. “O bloqueio constitui uma violação flagrante, massiva e sistemática dos direitos humanos das cubanas e dos cubanos e tem sido um impedimento essencial para as aspirações de bem-estar e prosperidade de várias gerações”, destacou.

O chanceler ressaltou, ainda, que “o bloqueio continua sendo o obstáculo fundamental do desenvolvimento cubano” e que ameaça a liberdade das nações. “É um ato de agressão e de guerra econômica. O governo dos EUA não tem a menor autoridade moral para criticar Cuba nem nada sobre a matéria de direitos humanos. Rechaçamos a reiterada manipulação deles com fins políticos”, acrescentou.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum