sexta-feira, 25 set 2020
Publicidade

Oposição a Macri convoca sessão especial no Congresso argentino para repudiar o golpe de Estado na Bolívia

O Congresso argentino viveu na tarde desta segunda-feira (11) uma sessão especial pautada para transmitir o repúdio dos deputados e senadores ao golpe de Estado ocorrido na Bolívia. A medida conta com o apoio de representantes de todos os partidos políticos de aposição ao governo de Mauricio Macri, e também com o de um macrista.

O idealizador da iniciativa foi o deputado Leonardo Grosso, chefe do chamado Bloco Evita (peronistas de centro-esquerda), que aproveitou para reclamar sobre o silêncio de Macri a respeito do golpe: “é lamentável que ele tenha decidido não dizer nada, é muito grave que seu governo tente negar todo o ocorrido”, considerou.

Grosso também afirmou que “vamos a defender a democracia diante do avanço de setores antidemocráticos.

O repúdio ganhou o inusitado apoio de um deputado macrista, Daniel Lipovetzky, quem afirmou que “se move o rabinho é late é um cachorro! Se as Forças Armadas `recomendam´ (leia-se obrigam, exigem) a renúncia de um presidente eleito democraticamente, isso é um Golpe de Estado. É necessário que se aplique a Carta Democrática Interamericana da OEA e que esse organismo intervenha já!”.

A postura de Lipovetzky recebeu elogios do presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández: “me tranquiliza ver que há pessoas no setor governista com a dignidade democrática que carece a outros”.

Victor Farinelli
Victor Farinelli
Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).