sábado, 24 out 2020
Publicidade

Papa faz pronunciamento na ONU sobre “perigosa situação da Amazônia”

Evitando citar diretamente Jair Bolsonaro, o líder do Vaticano afirmou que “a crise social também é um problema social para o nosso planeta”, e cobrou ações das autoridades políticas contra as mudanças climáticas

Em seu discurso exibido nesta sexta-feira (25), na 75ª Assembleia Geral das Nações Unidas, o Papa Francisco abordou a questão dos problemas ambientais que o mundo anda vivendo, e entre eles, destacou a “perigosa situação da Amazônia”, segundo suas próprias palavras.

Como aconteceu com todos os líderes mundiais participantes da assembleia, o chefe de Estado do Vaticano também teve seu pronunciamento gravado previamente, e exibido em um telão na sede do organismo multilateral, em Nova York.

Francisco evitou fazer uma crítica direta ao governo de Jair Bolsonaro, mas disse que “a situação da Amazônia e de seus povos indígenas requer muita a atenção, e nos lembra que a crise ambiental está intimamente ligada a uma crise social, e que o cuidado com o meio ambiente exige também uma política integrada para combater a pobreza e a exclusão”.

“Não devemos nos resignar em deixar para as próximas gerações a tarefa de resolver os problemas que as anteriores causaram, ou que não puderam solucionar. Devemos nos perguntar seriamente se existe, entre nós, vontade política para mitigar os efeitos negativos das mudanças climáticas, e para ajudar as populações mais pobres e vulneráveis, que são as mais afetadas por esses problemas”, completou o pontífice. Para terminar, Francisco, alerta sobre “uma oportunidade para repensar nossa forma de vida e nossos sistemas econômicos e sociais, que estão ampliando as distâncias entre pobres e ricos, a partir de uma injusta divisão dos recursos (…) mas também pode ser uma possibilidade de retirada defensiva, com características individualistas e elitistas”.

A mensagem completa do Papa na Assembleia Geral da ONU pode ser conferida na página da ACI Prensa, especializada em notícias sobre o Vaticano.

Victor Farinelli
Victor Farinelli
Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).