Papa Francisco: “tradição cristã nunca reconheceu como absoluto e intocável o direito à propriedade privada”

“Não há justiça social que possa ser baseada na iniquidade, o que pressupõe a concentração da riqueza", disse ainda Francisco

O Papa Francisco enviou mensagem em vídeo, por ocasião do primeiro encontro virtual dos juízes membros do Comitê para os Direitos Sociais da África e do continente americano, onde defende a justiça social e ainda declara que a propriedade privada não é valor absoluto e criticou a concentração de riqueza.

“Construamos a nova justiça social admitindo que a tradição cristã nunca reconheceu como absoluto e intocável o direito à propriedade privada e sempre sublinhou a função social de todas as suas formas. O direito de propriedade é um direito natural secundário derivado do direito que todos têm, nascido do destino universal dos bens criados. Não há justiça social que possa ser baseada na iniquidade, o que pressupõe a concentração da riqueza”, disse Francisco nessa segunda.

Francisco disse ainda que para “construir, analisar, a partir de uma revisão conceitual integrada, a ideia de justiça social, é essencial recorrer a outro conjunto de ideias e situações que constituem a base sobre a qual esta deve se sustentar”.

“As ideias sobre as quais vocês trabalham” afirma Francisco aos juízes, “não devem perder de vista a pequena parte da humanidade que vive na opulência, enquanto que a maioria tem sua dignidade desconhecida e seus direitos humanos ignorados e violados”.

“Não podemos pensar desconectados da realidade”. E esta é uma “realidade que deve ser considerada”, diz o papa.

Terra, teto e trabalho

“Por fim”, acrescenta o papa, “sugiro que ao repensar sobre a ideia de justiça social, o façam demonstrando-se solidários e justos. Solidários, lutando contra as causas estruturais da pobreza, da desigualdade, da falta de trabalho, de terra e de moradia. Terra, teto e trabalho, techo, tierra y trabajo, os três ‘T’s’ que nos fazem dignos. Lutando contra os que negam os direitos sociais e de trabalho. “Não esqueçam que a solidariedade, no seu sentido mais profundo é um modo de fazer história”, encerrou.

Com informações do Vatican News e DomTotal

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Em 2021, escolha a Fórum.

Todos os dias Fórum publica de 80 a 100 matérias desde às 6h da manhã até à meia-noite. São 18h de textos inéditos feitos pela equipe de 10 jornalistas da redação e também por mais de três dezenas de colaboradores eventuais.

E ainda temos 3 programas diários no YouTube. O Fórum Café, com Cris Coghi e Plínio Teodoro, o Fórum Onze e Meia, com Dri Delorenzo e este editor, e o Jornal da Fórum, com Cynara Menezes. Além de vários outros programas semanais, como o Fórum Sindical, apresentado pela Maria Frô.

Tudo envolve custos. E é uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar neste ano, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

É fácil. Clique em apoiar e escolha a melhor forma de escolher a Fórum em 2021.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR