Pedro Castillo é proclamado presidente eleito do Peru

A Justiça Eleitoral negou todas as manobras de Keiko Fujimori e finalmente reconheceu o triunfo; posse é na próxima semana

O professor sindicalista Pedro Castillo, do Peru Livre, foi finalmente proclamado como presidente eleito do Peru nesta segunda-feira (19). O Jurado Nacional de Eleições (JNE) reconheceu o triunfo após negar todas as manobras de Keiko Fujimori para tentar mudar o resultado das urnas.

Em audiência realizada na noite desta segunda, foi apresentada a Ata Geral de Proclamação, com o resultado final das eleições. Com 100% apurado, o socialista conseguiu 8.836.380 de votos e venceu o pleito com 50.126% de respaldo.

A filha do ex-ditador Alberto Fujimori obteve 49.874% de apoio no segundo turno. Foram 45 mil votos a menos que o adversário. A margem apertada é ligeiramente superior à das eleições de 2016, quando Pedro Paulo Kucinski, o PPK, também superou Keiko.

A proclamação acontece mais de um mês após a apuração atingir 100%. “Obrigado povo peruano por este triunfo histórico! Chegou o momento de chamar todos os setores da sociedade para que construamos juntos, neste Bicentenário, um Peru inclusivo, um Peru justo, um Peru Livre. Sem discriminação e pelos direitos e tudo”, afirmou o presidente nesta segunda em suas redes sociais. “Convocamos os povos afro, litorâneos, andinos e amazônicos, à classe trabalhadora e seus sindicatos, às comunidades indígenas e camponesas e a toda a sociedade a construir esta pátria maravilhosa. Hoje, irmãos e irmãs, começa uma nova etapa da nossa história”, completou.

A posse será realizada na quarta-feira da próxima semana, 28, quando o Peru completa seu bicentenário.

Após a nova derrota, Fujimori anunciou na tarde desta segunda que vai reconhecer a proclamação de Castillo “porque é o que a lei e a Constituição determinam”. A candidata e seus apoiadores apresentaram centenas de apelações na justiça para tentar golpear o resultado das urnas.

Quem é Pedro Castillo?

Professor na província de Cajamarca, Castillo ganhou projeção nacional quando liderou a greve nacional de docentes de 2017, que paralisou as aulas por três semanas exigindo melhores condições para profissionais de educação. Não é à toa que seu slogan eleitoral é “Palavra de Mestre” e seu símbolo é um lápis gigante.

Terceiro de nove irmãos, desde cedo conheceu a desigualdade no país andino. Começou seus estudos na Escola Rural N° 10465 e depois foi para uma unidade educacional localizada a duas horas de distância, que percorria a pé. Na juventude, trabalhou pela proteção de seu povo. Castillo foi parte dos grupos “ronderos” nos anos 70, que protegiam os campesinos e agricultores sem assistência do Estado no interior do país. Os ronderos também atuaram para resguardar os povos diante da escalada de violência promovida pelo Sendero Luminoso e pelas Forças Armadas nos anos 80-2000.

Publicidade

Assumidamente de esquerda, o candidato do partido marxista-leninista-mariateguista Peru Livre ganhou o primeiro turno de forma surpreendente, principalmente com o respaldo do interior. O programa do Peru Livre prevê o abandono do neoliberalismo e a construção de uma “Economia Popular com Mercados”, com um forte papel do Estado, além da estatização de reservas.

Publicidade
Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e pela América Latina, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum Global

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR