O que o brasileiro pensa?
05 de junho de 2019, 15h49

Presidente chinês chega à Rússia falando em “novo ponto de partida” da História

Por sua parte, o presidente russo, Vladimir Putin, acredita que “este grau de aproximação deve ser usado de forma a melhorar a vida das pessoas na Rússia e na China, e que todas as vantagens competitivas dos acordos devem significar um desenvolvimento pleno para ambas as partes”.

Foto: Agência Xinhua

Na tarde desta quarta-feira (5), o avião oficial do presidente da China, Xi Jinping, aterrissou no aeroporto de Vnukovo, em Moscou, para início da visita oficial do líder comunista ao país vizinho, a qual estará obviamente marcada por uma reunião com seu colega russo, Vladimir Putin.

A jornada também terá a assinatura de ao menos 30 documentos relacionados com diversos acordos bilaterais e declarações conjuntas, algo que está programado para o acontecer durante o encontro entre vários representantes políticos e empresariais de ambos os países.

Boa parte desses acordos, segundo o portal russo RT, estarão direcionados às relações econômicas entre a China e a Rússia, e outros visariam o fortalecimento da estabilidade estratégica a nível internacional.

Antes de viajar a Moscou, em entrevista à agência de notícias chinesa Xinhua, Jinping declarou que a visita marca “um novo ponto de partida e na História”, pois se abriram novas oportunidades para desenvolver as relações entre a China e a Rússia.

Por sua parte, o presidente russo, Vladimir Putin, acredita que “este grau de aproximação deve ser usado de forma a melhorar a vida das pessoas na Rússia e na China, e que todas as vantagens competitivas dos acordos devem significar um desenvolvimento pleno para ambas as partes”.

Entre os pontos mais importantes a serem conversados no encontro entre Jinping e Putin, alguns tem a ver com interesses da agenda internacional, como a discussão para uma solução política e diplomática sobre a desnuclearização da Coreia do Norte; o intercâmbio de pontos de vista sobre o Plano Integral de Ação Conjunta, visando preservar o histórico acordo anti nuclear com o Irã; conversações sobre a crise na Venezuela; uma discussão sobre a normalização da situação atual na Síria; a avaliação do estado das relações entre Rússia e China com os países ocidentais, como os Estados Unidos e os europeus.

Em termos de indústria e comércio, os mandatários devem abordar as seguintes problemáticas: uma inspeção de mostras da produção industrial conjunta entre ambos os países, como os veículos da marca chinesa Great Wall, que são produzidos na Rússia; a discussão de um projeto conjunto para construir um avião para longas distância e um helicóptero pesado; conversas sobre a exploração espacial conjunta e um diálogo sobre o desenvolvimento de infraestruturas, em um marco da iniciativa do cinturão e da chamada Nova Rota da Seda.

Assim como a viagem de Donald Trump ao Reino Unido, a visita de Jinping à Russia deve durar três dias, e contará também com uma noite de gala no Teatro Bolshoi, organizada para celebração do 70º aniversário das relações diplomáticas entre as duas nações. A última parada da será em São Petersburgo, onde acontece um Foro Econômico Internacional que terá Jinping como convidado de honra.

Com informações do portal RT.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum