Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
12 de novembro de 2019, 11h30

PSOE e Podemos formam “governo de coalizão progressista” na Espanha

Pedro Sánchez e Pablo Iglesias assinaram um pré-acordo para formar um "governo de coalizão progressista" que será baseado na "lealdade"

Pedro Sánchez e Pablo Iglesias Foto: Reprodução

Pedro Sánchez e Pablo Iglesias, líderes do PSOE e Podemos, da Espanha, assinaram um pré-acordo para formar um “governo de coalizão progressista” que será baseado na “lealdade” de ambas as partes e que se qualificou como “emocionante”, e se chamará Unidas Podemos.

Numa aparição conjunta, os dois enfatizaram que esse acordo busca acabar com o bloqueio que levou à estagnação da vida política por meses e à repetição das eleições gerais.

“Os espanhóis falaram e cabe às partes responderem à sua vontade”, disse Sánchez, que enfatizou que é um acordo “para um governo estável de quatro anos”.

Fontes socialistas afirmam que depois do pacto com o Podemos outras forças políticas que derrubaram o governo direitista de Mariano Rajoy também se incorporarão ao governo de centro-esquerda.

De acordo com texto de Vinícius Sartorato, publicado na Fórum, com a queda do governo (junho de 2018) do então primeiro-ministro, Mariano Rajoy (Partido Popular – PP), a partir de uma “moção de censura” sob denúncias de corrupção, Pedro Sánchez (Partido Socialista Operário Espanhol – PSOE) acabou por assumir o posto de primeiro-ministro temporariamente.

Com o fim da legislatura, Sánchez liderou a vitória do seu partido nas eleições abril de 2019, porém não conseguiu em formar uma maioria estável para governar o país.

Com o fim do bipartidarismo entre PP e o PSOE que marcou a redemocratização espanhola, desde a morte do ditador Franco (1979), as eleições no país ibérico ganharam novas características, com um inédito multipartidarismo.

Cansados dos “velhos partidos” e com profundos questionamentos, os novos agrupamentos surgiram com expressividade eleitoral, à esquerda e à direita do cenário eleitoral. Enquanto o PP tenta se desvencilhar das denúncias de corrupção e da crise econômica herdadas por seu governo, o PSOE busca mostrar-se renovado, com uma nova geração liderada pelo primeiro-ministro, economista e ex-jogador de basquete, Pedro Sánchez.

Preterido pelo PSOE para formação de governo após a eleição de abril de 2019, mais à esquerda o Unidos Podemos (fundado em 2014), pode ser a única alternativa para barrar o crescimento da extrema-direita no país. Como fruto dos protestos que marcaram a crise econômica-financeira (2007-11), setores da moderada esquerda socialista temem setores “mais extremistas” da agremiação liderada pelo Professor Pablo Iglesias, em especial diante de problemas regionais – como o caso catalão.

Com informações da RTVE

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum