sábado, 24 out 2020
Publicidade

Putin oferece doses grátis da vacina Sputnik V para os empregados da ONU

Presidente russo aproveitou a Assembleia Geral das Nações Unidas para destacar a vantagem do seu país na “corrida pela vacina” contra o coronavírus, após o registro do seu primeiro medicamento, em agosto

Esta 75ª Assembleia-geral da ONU não contou só com os blefes de Bolsonaro com relação à devastação do meio ambiente. Outros mandatários aproveitaram a ocasião para promover seu país, como é de costume, e no caso do russo Vladimir Putin era de se esperar que o discurso estivesse enfocado na vantagem da Rússia na chamada “corrida pela vacina” contra o coronavírus.

Em agosto, a Rússia registrou e apresentou ao mundo a Sputnik V, vacina desenvolvida pelo Centro Gamaleya de Moscou. O medicamento ainda não passou pela terceira fase de exames clínicos, que ocorreu neste início de setembro, mas as duas fases anteriores tiveram sucesso comprovado, com 100% de imunidade entre os voluntários testados, segundo artigo publicado na revista especializada The Lancet.

Em seu discurso, nesta terça-feira (22), Putin não só enfatizou a conquista russa como também ofereceu doses grátis da vacina a “todos os e empregados das Nações Unidas”.

“O coronavírus não poupou os funcionários das Nações Unidas, sua sede e suas estruturas regionais. A Rússia está pronta para fornecer toda a assistência qualificada necessária à ONU. Em particular, oferecemos nossa vacina para a imunização voluntária e gratuita dos funcionários e suas unidades em todo o mundo”, anunciou o mandatário russo.

A Rússia espera os resultados finais da terceira etapa de testes clínicos da Sputnik V para poder iniciar a vacinação em massa da sua população. No entanto, o governo russo assegura que alguns setores profissionais – como trabalhadores das redes públicas de saúde e educação – já estão sendo vacinado. O governo do país estima que a imunização do público em geral deve começar entre o final de outubro ou começo de novembro.

No Brasil, o governo da Rússia já entrou em acordo com o governo estadual da Bahia, para que o estado receba alguns lotes da Sputnik V, e também já há conversas sobre a possibilidade de produzir o medicamento em Salvador, através dessa parceria.

Victor Farinelli
Victor Farinelli
Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).