Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
07 de junho de 2019, 16h50

Putin se alia à China no Caso Huawei e anuncia início da “primeira guerra tecnológica”

Na presença do presidente chinês Xi Jinping, o mandatário do Kremlin disse que as tensões geopolíticas são provocadas por “países ocidentais que, apesar de tanto se gabarem de suas tradições liberais, agora pretendem impor uma maior hegemonia".

Xi Jinping e Vladimir Putin, durante o Foro de São Petersburgo (Foto: reprodução do YouTube)

Em discurso realizado nesta sexta-feira (6), durante o 23.º Foro Econômico Internacional de São Petersburgo, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou que seu país pretende consolidar uma série de acordos em matéria de desenvolvimento tecnológico com a China, o que significará, entre outras coisas, um maior espaço para as empresas tecnológicas chinesas no mercado russo.

Na presença do presidente chinês Xi Jinping, o mandatário do Kremlin também falou sobre as tensões geopolíticas a respeito do mercado de telecomunicações, provocadas por “países ocidentais que, apesar de tanto se gabarem de suas tradições liberais, agora pretendem impor uma maior hegemonia, não só global, como também universal”.

Putin não ficou apenas nas alusões, e explicou que sua ironia dizia respeito às sanções que os Estados Unidos impuseram a empresa chinesa Huawei. “Não só querem pressionar (a companhia), como pretendem expulsá-la do mercado Global. Em alguns círculos, isso já é considerado o início da primeira guerra tecnológica que virá”, completou o mandatário russo.

Para finalizar, afirmou que as tentativas de “monopolizar a nova onda digital, e de limitar o acesso aos seus frutos, fortalecem a concentração da riqueza nas mãos poucos, e a consequente instabilidade dos Estados, o que eleva o problema da desigualdade mundial a um nível completamente inédito”.

Além de Putin e Jinping, o Foro de São Petersburgo conta também com a participação do Secretário-Geral das Nações Unidas, o português António Guterres, além dos presidentes de países como Bulgária, Armênia e Eslováquia.

Com informações do RT.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum