quarta-feira, 23 set 2020
Publicidade

Rosa Weber manda reabrir fronteira com a Venezuela

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, indeferiu na noite desta segunda-feira (6) o pedido para o fechamento temporário da fronteira do Brasil com a Venezuela. A decisão foi tomada horas depois da Polícia Rodoviária Federal (PRF), a Força Nacional e o Exército participarem da operação que fechou o posto fronteiriço, por determinação da Justiça Federal de Roraima. No domingo (5), a entrada de imigrantes venezuelanos pela fronteira com o estado foi suspensa.

Na decisão, Rosa Weber diz que não é justificável “partir para a solução mais fácil” de ‘fechar as portas’, equivalente, na hipótese, a ‘fechar os olhos’ e ‘cruzar os braços’. Para a magistrada, o enfrentamento da crise deve ser feito em compatibilidade com os padrões constitucionais e internacionais da garantia da prevalência dos direitos humanos fundamentais.

Por sua vez, o juiz federal Helder Girão  havia afirmado que a fronteira com a Venezuela deveria ficar fechada até que “se alcance um equilíbrio numérico com o processo de interiorização e se criem condições para um acolhimento humanitário no estado de Roraima”. A revogação da decisão é uma resposta à ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal (MPF) e a Defensoria Pública da União (DPU) contra decreto da governadora de Roraima Suely Campos (PP), que decidiu exigir passaporte válido para que os venezuelanos tenham acesso a serviços públicos no estado.

A suspensão do bloqueio da fronteira foi condicionada ao chamado processo de interiorização, que é a ação do governo federal de transferência de imigrantes para outras regiões e estados do país,já iniciada. Em nota, o Ministério dos Direitos Humanos criticou a decisão e disse que ela “vai de encontro ao posicionamento do governo, que prioriza a garantia dos direitos humanos e manutenção da dignidade”.

O número de solicitações de refúgio de venezuelanos no Brasil dobrou no primeiro semestre de 2018 – passando de 17.865 para 35.540 – segundo dados oficiais divulgados nesta segunda. No total, 56.740 venezuelanos buscaram formas de legalizar a sua situação no Brasil. Além dos pedidos de refúgio, outros 11.100 solicitaram residência temporária, enquanto 10.100 agendaram um encontro na PF para realizar os trâmites migratórios.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.