Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
04 de junho de 2019, 13h52

Rússia desmente informação de que seus especialistas militares deixaram a Venezuela

Embaixador da Rússia na Venezuela, Vladímir Zayemski disse que a notícia não condiz com a realidade. “O trabalho que eles vieram fazer continua vigente, obedecendo os compromissos existentes entre os dois países”

Embaixador da Rússia na Venezuela, Vladímir Zayemski (Reprodução)

Após toda uma segunda-feira (4) pautada pelo rumor de que os especialistas militares russos presentes na Venezuela teriam deixado o país – informação difundida pelo jornal The Wall Street Journal e que chegou a ser retuitada pelo presidente Donald Trump – o embaixador da Rússia na Venezuela, Vladímir Zayemski, realizou uma pequena coletiva para desmentir essa informação.

Segundo o diplomata, a notícia não condiz absolutamente com a realidade. “O trabalho que eles vieram fazer continua vigente, obedecendo os compromissos existentes entre os dois países, e não se falou em nenhum momento sobre uma redução”, declarou Zayemski.

Vale lembrar que a Venezuela começou a receber especialistas e aviões de guerra russos a partir do mês de dezembro – outras duas levas chegaram ao país em janeiro e em março, meses em que foi mais intensa a pressão contra o governo de Maduro, a partir da estratégia de obter reconhecimento internacional à autoproclamação de Juan Guaidó como presidente interino do país.

A informação do The Wall Street Journal citava uma fonte anônima para dizer que a Rússia já havia retirado consideravelmente o número de assessores militares do seu país na Venezuela, supostamente devido à uma incapacidade de pagar por essa assessoria por parte do governo de Caracas.

Quem também desmentiu o jornal estadunidense foi a estatal russa Rostec, afirmando que também se equivocaram em estimar o número real de especialistas russos presentes no país: “as cifras que figuram no artigo são dez vezes maior que a realidade”.

O comunicado da Rostec também esclareceu que a corporação, além de uma representação permanente, também envia periodicamente os seus grupos de especialistas técnicos para realizar trabalhos de manutenção e reparação dos equipamentos fornecidos pelos russos.

Já o consórcio russo de vendas militares Rosoboronexport declarou que também continua trabalhando na Venezuela. “Nossa empresa dá atenção especial à implementação dos acordos sobre a criação de empresas de defesa na Venezuela, e a capacitação de especialistas na manutenção do equipamento fornecido anteriormente”, indicou um comunicado difundido pela companhia.

Com informações do RT.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum