Twitter bloqueia contas das Forças Armadas da Venezuela após nova tentativa de golpe por Guaidó

Diversas contas ligadas ao Ministério da Defesa do país foram bloqueadas, entre elas a conta institucional de imprensa da pasta e a do Comando Estratégico Operacional das Forças Armadas

O Twitter suspendeu diversas contas ligadas ao Ministério da Defesa da Venezuela (@mppd_fanb), entre elas perfis das Forças Armadas (@armadafanb) do país. Contas responsáveis pela comunicação do ministério, assim como as que representam o Exército, Força Aérea e o Comando Estratégico Operacional, foram bloqueadas. Até pouco tempo, também estava suspensa a conta institucional de imprensa da presidência da Venezuela.

O aviso nas contas diz apenas que elas violaram as “regras de uso” da rede, sem entrar em detalhes do motivo do bloqueio. O perfil pessoal do presidente Nicolás Maduro (@maduro_en), no entanto, continua ativo.

O bloqueio do Twitter às contas ligadas ao governo de Maduro acontece pouco tempo depois de uma nova tentativa de golpe protagonizada pelo principal deputado da oposição no país, Juan Guaidó, que perdeu o cargo de presidente da Assembleia Nacional da Venezuela no último domingo (5).

Nesta terça-feira (7), Guaidó realizou uma nova investida e invadiu o edifício da Assembleia com uma comitiva formada por deputados do seu setor político, jornalistas e cidadãos que o apoiam. Segundo ele, sua comitiva contou com 100 deputados, mas não há uma lista de nomes que confirme tal adesão.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR