Venezuela anuncia registro oficial do seu medicamento para curar a covid na OMS

Vice-presidenta Delcy Rodríguez informou que país está confiante em que a organização internacional “comprovará que nossa molécula DR-10 é capaz de bloquear a ação do coronavírus e não possui nenhum tipo de toxicidade”

O governo da Venezuela anunciou nesta terça-feira (27) que realizou formalmente na OMS (Organização Mundial da Saúde) os trâmites para registrar a molécula DR-10, medicamento criado por cientistas do país que seria capaz de bloquear a ação do coronavírus, o que permitiria curar pacientes de covid-19 – infecção causada pelo novo vírus, responsável pela atual pandemia.

O anúncio foi feito pela vice-presidenta da Venezuela, Delcy Rodríguez, que esteve acompanhada da ministra de Ciência e Tecnologia do país, Gabriela Jiménez. “Já formalizamos essa descoberta na OMS, para dar início aos devidos procedimentos internacionais para conseguir a certificação e o registro”, acrescentou a vice-presidenta.

No último domingo (25), o DR-10 foi apresentado ao país com pompa pelo presidente Nicolás Maduro, em rede nacional de televisão.

Neste segundo evento governamental sobre o novo medicamento, além da vice-presidenta estava presente a ministra de Ciência e Tecnologia da Venezuela, Gabriela Jiménez, que afirmou que “a molécula DR-10 apresentou 100% de inibição do vírus in vitro, além de mostrar que não possui nenhum tipo de toxicidade, não causa nenhum efeito sobre as células saudáveis”. Ela esclareceu que os estudos clínicos e pré-clínicos com o produto foram realizados pelo IVIC (Instituto Venezuelano de Inovação Científica).

Delcy Rodríguez disse ter certeza de que “os especialistas da OMS comprovarão a eficácia do nosso produto”, e assegura que o governo venezuelano planeja buscar acordos com Rússia e China para poder produzir o medicamento em grande escala.

Avatar de Victor Farinelli

Victor Farinelli

Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).