Venezuela suspende diálogo após sequestro de diplomata pelos EUA

O diplomata Alex Saab foi extraditado de Cabo Verde, país governado por aliado de Bolsonaro, para os Estados Unidos

O governo da Venezuela anunciou na noite deste sábado (16) a suspensão da mesa de diálogo com a oposição que vinha sendo realizada no México por intermédio da Noruega. A decisão foi tomada após o diplomata e empresário Alex Saab ser extraditado de Cabo Verde para os Estados Unidos, o que o governo de Nicolás Maduro considera um sequestro.

Em comunicado oficial, o governo venezuelano denunciou o “sequestro do diplomata venezuelano por parte do governo dos Estados Unidos com a cumplicidade das autoridades de Cabo Verde, que o torturaram e o mantiveram preso arbitrariamente por 491 dias sem ordem de captura e sem o devido processo legal”. A extradição, por ser supostamente “testa-de-ferro” de Maduro, acontece sem nenhuma condenação proferida.

A Venezuela destaca ainda que a captura e extradição de um diplomata em exercício “abre um perigoso precedente para o Direito Internacional”. Saab foi detido em Cabo Verde enquanto fazia escala para missão diplomática no Irã.

Cabo Verde é governada por Jorge Carlos Fonseca, líder de extrema-direita próximo do presidente Jair Bolsonaro.

Mesa de diálogo

Saab também era um dos representantes do chavismo na mesa de diálogo do México. Por conta disso, o governo afirmou que essa extradição afeta diretamente as negociações em andamento.

Jorge Rodríguez, presidente da Assembleia Nacional e coordenador da delegação chavista na mesa de diálogo, condenou o episódio e afirmou que o país irá levar o caso aos tribunais internacionais.

“Há quase 500 dias os Direitos Humanos de Alex Saab são violados pelo governo de Cabo Verde. Esta ação contra a Saab constitui uma nova agressão contra nosso país pelos Estados Unidos. A Venezuela levará este caso a todos os órgãos de direitos humanos e por isso suspendemos nossa participação nas sessões de diálogo que estávamos realizando no México”, afirmou em pronunciamento.

Colômbia

O presidente da Colômbia, Iván Duque, celebrou a prisão de Saab, que é colombiano. “A extradição de Alex Saab é um triunfo na luta contra o narcotráfico, a lavagem de dinheiro e a corrupção que culminou na ditadura de Nicolás Maduro. A Colômbia apoiou e continuará apoiando os EUA em uma investigação contra uma quadrilha de crime transnacional liderada por Saab”, tuitou.

Publicidade

Duque é acusado de tentar boicotar a pacificação na Venezuela e foi respondido pela vice-presidenta da Venezuela, Delcy Rodríguez. “A justiça internacional se redimiria se o chefe do narco-estado, maior produtor mundial de cocaína, Iván Duque, se entregasse. O paramilitarismo colombiano, o narcotráfico e as gangues criminosas fazem parte da estrutura que apóia este empório de drogas!”, disse.

Publicidade
Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e pela América Latina, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum Global

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR