quarta-feira, 23 set 2020
Publicidade

Vídeo: Agente que participou do assassinato de George Floyd é escrachado no supermercado em Minnesota

O incidente aconteceu neste domingo, em um supermercado da cidade de Plymouth, no interior do estado de Minnesota. O ex-policial Alexander Kueng, um dos participou da ação que terminou com a morte de George Floyd, no dia 25 de maio passado, foi reconhecido e escrachado por uma mulher que estava no local.

Nas imagens, é possível ver Kueng acompanhado de um amigo, levando um pacote de bolachas, um galão de leite e outros pacotes de compras, quando a mulher o reconhece e o encara. O vídeo foi publicado no Twitter pelo irmão da mulher que o gravou, e desde então tem sido amplamente compartilhado, com mais de 3 milhões de visualizações até o momento.

“Você está fora da prisão, fazendo compras confortavelmente como se não tivesse feito nada”. Nos primeiros minutos, Kueng disse “entender” a indignação da mulher, e “lamentar que você se sinta assim”. Logo, afirmou que “eu não diria `confortavelmente´. Diria que estou comprando as coisas necessárias”.

Em seguida, a mulher prosseguiu com o escracho, perguntando de onde ele tirou o dinheiro para pagar a fiança e dizendo aos demais frequentadores que a pessoa que ela estava encarando era uma das que participou do assassinato de George Floyd.

A partir desse momento, Kueng permaneceu calado, e evitando olhar para a mulher ou para as demais pessoas no supermercado.

“Eu não acho que você deveria ter esse direito. Eu não acho que você deveria ser libertado sob fiança. Você tem algum remorso pelo que fez? Você tem coragem de sair e pensar que não sabemos quem você é. Como ousa? Você não será capaz de viver em silêncio em Minnesota ou em qualquer outro lugar. E você vai voltar para a prisão, pode ter certeza”, afirmou a mulher.

Alexander Kueng saiu da prisão nesta sexta-feira (19), após o pagamento de uma fiança de 750 mil dólares. No dia 25 de maio, ele participou da ação que terminou com a morte de George Floyd. Na ocasião, foi o responsável por render e algemar a vítima.

Antes dele, seu colega Thomas Lane também teve o mesmo benefício. O ex-agente Tou Thao permanece preso. Os três estão processados por sua cumplicidade no assassinato Floyd, mas Kueng e Lane, que pagaram a fiança, aguardarão o processo em liberdade condicional.

O também ex-policial Derek Chauvin, que asfixiou Floyd mantendo seu joelho sobre o pescoço da vítima por mais de 8 minutos, também continua preso. A fiança para que ele possa aguardar o processo em liberdade é maior que no caso dos colegas: 1,25 milhão de dólares.

Victor Farinelli
Victor Farinelli
Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).