VÍDEO: Ensandecido, Queiroga faz gesto obsceno para manifestantes anti-Bolsonaro em Nova York

Ministro da Saúde chegou a levantar do banco em que estava sentado no veículo para reagir à "recepção" da comitiva presidencial

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, se descontrolou na noite desta segunda-feira (20) ao reagir à manifestação contra o presidente Jair Bolsonaro em Nova York (EUA).

O presidente e sua comitiva chegavam em uma van ao local onde um jantar foi oferecido pelo embaixador do Brasil na cidade e foram recebidos por manifestantes, que se aproximaram do veículo. Todos no interior do carro permaneceram sentados, enquanto Queiroga levantou e foi para a janela insultar os manifestantes com gestos obscenos.

Assista à cena.

Carro e telão

Ativistas não têm deixado vida fácil para o presidente Jair Bolsonaro em Nova York. O mandatário chegou à cidade estadunidense no domingo (19) para participar da Assembleia Geral da ONU, na terça-feira (21), e tem enfrentado protestos. Nesta segunda-feira (20), manifestantes rodaram a cidade com um telão pedindo a prisão do presidente e chegaram a se encontrar com ele.

À noite, o grupo Democracy Brazil, autor da ação, protestou contra o presidente durante desembarque dele para uma atividade sob gritos de “genocida”, “Fora Bolsonaro” e “assassino”. Bolsonaro acenou para o grupo de manifestantes.

O carro com telão trazia frases como “Prendam Bolsonaro”, “Amazônia ou Bolsonaro e Bolsonaro” e “Criminoso Climático”, todas em inglês.

Em manifesto, os ativistas apontam que “a mera presença de Bolsonaro na Assembleia Geral das Nações Unidas demanda resposta” em razão da emergência climática mundial.

Veja vídeos aqui.

Publicidade

Notícias relacionadas

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR