Imprensa livre e independente
14 de junho de 2019, 10h24

Greve geral: Petroleiros paralisam atividades em oito estados e protestam contra desmonte na Petrobras

“Não podemos continuar assistindo a esse desmonte que acontece no nosso país e achar que tudo isso é normal”, diz José Maria Rangel, coordenador-geral da Federação Única dos Petroleiros

Petroleiros paralisados na Greve Geral deste dia 14 de junho (foto: site FUP).
A Federação Única dos Petroleiros (FUP) aproveitou a Greve Geral desta sexta-feira (14) para iniciar a paralisação da sua categoria, que foi uma das primeiras a se mobilizar durante a jornada. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo Além de apoiar as demandas da Greve Geral, contra o desmonte da Previdência impulsado pelo projeto de Paulo Guedes e Jair Bolsonaro e em favor de políticas públicas que recuperem a atividade econômica, gerando empregos, com trabalho decente e renda digna, os petroleiros também se protestam contra a privatização do sistema Petrobras,...

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) aproveitou a Greve Geral desta sexta-feira (14) para iniciar a paralisação da sua categoria, que foi uma das primeiras a se mobilizar durante a jornada.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Além de apoiar as demandas da Greve Geral, contra o desmonte da Previdência impulsado pelo projeto de Paulo Guedes e Jair Bolsonaro e em favor de políticas públicas que recuperem a atividade econômica, gerando empregos, com trabalho decente e renda digna, os petroleiros também se protestam contra a privatização do sistema Petrobras, em defesa da soberania nacional e da utilização dos recursos naturais do país em benefício da população brasileira.

Em vídeo divulgado nas redes sociais, o coordenador-geral da FUP, José Maria Rangel afirmou que “nós não podemos continuar assistindo esse desmonte que acontece no nosso país e achar que tudo isso é normal”. Rangel também critica o atual governo, que ele classifica como “um governo fake news, e as revelações do site The Intercept mostram que tudo o que vinhamos dizendo desde 2015 era verdade”.

Nas primeiras horas da madrugada, os trabalhadores cortaram a rendição nos turnos de nove refinarias da Petrobrás, em oito estados do país: Duque de Caxias (Reduc/RJ), Gabriel Passos (Regap/MG), Landulpho Alves (Rlam/BA), Abreu e Lima (PE), Manaus (Reman), Paulínia (Replan/SP), Mauá (Recap/SP), Presidente Getúlio Vargas (Repar/PR), Alberto Pasqualini (Refap/RS).

Veja também:  Rede bolsonarista ataca Fátima Bernardes por selinho em Tata Werneck

Também estão paralisados o Terminal Aquaviário de Suape (PE), a Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (BA), a Termelétrica Aureliano Chaves (MG), a unidade de processamento de xisto SIX (PR) e a Araucária Nitrogenados (PR). Contudo, na Bacia de Campos (RJ), a categoria realiza uma operação padrão nas plataformas, com execução de todos os procedimentos.

Segundo a FUP, a greve também conta com apoio e participação dos trabalhadores administrativos e de outras unidades do Sistema Petrobrás.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum