Imprensa livre e independente
14 de junho de 2019, 13h30

#GreveGeral é o assunto mais comentado do Twitter

Postagens extrapolam os Estados mais populosos do país e chegam a cidades no exterior, com mais de 300 compartilhamentos por minuto

Foto: Mídia Ninja
A greve geral convocada para esta sexta-feira (14) contra os cortes na educação e a reforma da Previdência, ambos promovidos pelo governo de Jair Bolsonaro, é o assunto mais comentado no twitter nesta manhã. Segundo dados do site TrendsMap, que monitora a rede social em tempo real, foram quase 159.000 postagens com a hashtag #GreveGeral nas últimas 24 horas, chegando a 370 compartilhamentos por minuto por volta das 12h30. A maioria das postagens, como esperado, foram feitas no Brasil. Muitas defesas da paralisação desta sexta-feira, no entanto, foram feitas em locais como Los Angeles e Nova York, nos EUA; Londres,...

A greve geral convocada para esta sexta-feira (14) contra os cortes na educação e a reforma da Previdência, ambos promovidos pelo governo de Jair Bolsonaro, é o assunto mais comentado no twitter nesta manhã.

Segundo dados do site TrendsMap, que monitora a rede social em tempo real, foram quase 159.000 postagens com a hashtag #GreveGeral nas últimas 24 horas, chegando a 370 compartilhamentos por minuto por volta das 12h30.

A maioria das postagens, como esperado, foram feitas no Brasil. Muitas defesas da paralisação desta sexta-feira, no entanto, foram feitas em locais como Los Angeles e Nova York, nos EUA; Londres, no Reino Unido; e Barcelona, na Espanha – todos locais com grande concentração de brasileiros emigrados.

Ao todo, 19 estados e o DF se encontravam em greve nesta manhã, com os principais sistemas de transporte das capitais e principais cidades paralisados. Somente parte das linhas de ônibus, trem ou metrô funcionavam em capitais como São Paulo, João Pessoa, Curitiba, Maceió e Salvador. No Rio, protestos bloquearam vias da cidade.

Veja também:  Após voto de Tabata e outros 7 pedetistas pela reforma, Alexandre Frota provoca Ciro Gomes: "E agora?"

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum