Imprensa livre e independente
26 de setembro de 2017, 08h45

Gustavo Franco sugeriu a venda do BB. Zé de Abreu devolveu: “Vende a mãe”

Segundo o conhecido vendilhão da pátria, a crise na Petrobrás abriu uma "janela" para a retomada das privatizações no País. Quem fala o que quer...

Segundo o conhecido vendilhão da pátria, a crise na Petrobrás abriu uma “janela” para a retomada das privatizações no País. Quem fala o que quer… Por Brasil 247 O conhecido privatista/economista Gustavo Franco, do PSDB, propôs, claro, a privatização do Banco do Brasil. Segundo ele, a crise na Petrobrás abriu uma “janela” para a retomada das privatizações no País, e que o Banco do Brasil seria a estatal no momento “pronta” para a venda. “Depois desse episódio (corrupção na Petrobrás), é muito fácil entender que uma empresa estatal é vulnerável à captura por políticos corruptos. Não há assunto de liberalismo...

Segundo o conhecido vendilhão da pátria, a crise na Petrobrás abriu uma “janela” para a retomada das privatizações no País. Quem fala o que quer…

Por Brasil 247

O conhecido privatista/economista Gustavo Franco, do PSDB, propôs, claro, a privatização do Banco do Brasil. Segundo ele, a crise na Petrobrás abriu uma “janela” para a retomada das privatizações no País, e que o Banco do Brasil seria a estatal no momento “pronta” para a venda.

“Depois desse episódio (corrupção na Petrobrás), é muito fácil entender que uma empresa estatal é vulnerável à captura por políticos corruptos. Não há assunto de liberalismo nisso. Há assunto de código penal”, afirmou.

Em seguida, ele levou uma traulitada do ator José de Abreu. Confira:

Veja também:  “Nada corrompe mais o Brasil do que a desigualdade, a concentração de renda”, avalia Dino ao Intercept

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum