Imprensa livre e independente
18 de agosto de 2017, 15h44

Haddad denuncia “o fim da controladoria geral de São Paulo”

De acordo com o ex-prefeito da capital paulista, a demissão da então controladora geral, Laura Mendes, foi mais um passo para retirar a autonomia do órgão.

De acordo com o ex-prefeito da capital paulista, a demissão da então controladora geral, Laura Mendes, foi mais um passo para retirar a autonomia do órgão. Da Redação O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), criticou, em uma de suas redes sociais, a demissão da controladora geral do município, Laura Mendes, e apontou para o fato de que o órgão está sendo desmontado por João Doria (PSDB). “A controladoria geral do município, criada por mim, para combater a corrupção, foi a responsável por desbaratar a máfia do ISS e a máfia do Theatro Municipal, dente outras ações em que...

De acordo com o ex-prefeito da capital paulista, a demissão da então controladora geral, Laura Mendes, foi mais um passo para retirar a autonomia do órgão.

Da Redação

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), criticou, em uma de suas redes sociais, a demissão da controladora geral do município, Laura Mendes, e apontou para o fato de que o órgão está sendo desmontado por João Doria (PSDB). “A controladoria geral do município, criada por mim, para combater a corrupção, foi a responsável por desbaratar a máfia do ISS e a máfia do Theatro Municipal, dente outras ações em que recuperou centenas de milhões de reais. Esse órgão está sendo desmontado”, escreveu.

Haddad prosseguiu: “Num primeiro movimento, retiraram dele o status de secretaria, diretamente ligado ao gabinete do prefeito. E, agora, demitem um quadro técnico para nomear um aliado, retirando-lhe a autonomia. Temer fez o mesmo no plano federal. No governo do estado, jamais tivemos uma controladoria autônoma com status de secretaria. Estamos retrocedendo. Pena”, completou.

Veja também:  Haddad diz que não tem pretensão de ser candidato a prefeito de São Paulo novamente

Laura Mendes foi exonerada apenas duas semanas depois de abrir investigações a respeito do esquema de propina envolvendo funcionários da prefeitura. Ela estava no cargo havia 8 meses e, há cerca de um mês, deu início à investigação que começou a desbaratar um esquema de pagamento de propina a funcionários da prefeitura para liberar propaganda irregular, burlando a lei Cidade Limpa.

“A substituição se dá por razões administrativas operacionais e a prefeitura reconhece e agradece os bons resultados obtidos por ela nos oito meses em que ficou à frente do órgão. Todos os processos e investigações abertos durante esse período terão continuidade, garantindo a independência da controladoria conforme determina a legislação”, justificou laconicamente, em nota, a prefeitura.

Para o lugar de Laura, foi escolhido o advogado Guilherme Rodrigues Monteiro Mendes, que era ouvidor geral do município.

Foto: Lula Marques/AGPT/Fotos Públicas

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum