Imprensa livre e independente
09 de junho de 2015, 17h56

Homem que humilhou haitiano mostra sua ignorância em rede nacional

Depois de postar um vídeo no Facebook no qual humilha um haitiano que estava trabalhando em um posto de gasolina em Canoas (RS), o agressor foge de perguntas de repórter e mostra seu conhecimento raso da história do país ao se revoltar contra um imigrante e destilar toda a sua xenofobia. Segundo ele, a vinda de haitianos ao país faz parte de um programa do 'Foro de São Paulo'; assista

Depois de postar um vídeo no Facebook no qual humilha um haitiano que estava trabalhando em um posto de gasolina em Canoas (RS), o agressor foge de perguntas de repórter e mostra seu conhecimento raso da história do país ao se revoltar contra um imigrante e destilar toda a sua xenofobia. Segundo ele, a vinda de haitianos ao país faz parte de um programa do ‘Foro de São Paulo’; assista  Por Redação  Depois de gravar um vídeo humilhando um haitiano e divulgar nas redes sociais, um internauta do Rio Grande do Sul acabou mostrando sua ignorância e foi exposto em rede...

Depois de postar um vídeo no Facebook no qual humilha um haitiano que estava trabalhando em um posto de gasolina em Canoas (RS), o agressor foge de perguntas de repórter e mostra seu conhecimento raso da história do país ao se revoltar contra um imigrante e destilar toda a sua xenofobia. Segundo ele, a vinda de haitianos ao país faz parte de um programa do ‘Foro de São Paulo’; assista 

Por Redação 

Depois de gravar um vídeo humilhando um haitiano e divulgar nas redes sociais, um internauta do Rio Grande do Sul acabou mostrando sua ignorância e foi exposto em rede nacional no programa CQC, da Rede Bandeirantes, que foi ao ar na noite da última segunda-feira (8).

Daniel Barbosa, adorador confesso das forças policiais brasileiras e opositor ferrenho do PT, abordou um imigrante haitiano que trabalha em um posto de gasolina em Canoas, região metropolitana de Porto Alegre (RS), e o humilhou com declarações extremamente xenófobas, dizendo que ele, assim como outros milhares de haitianos que estão no país, estão “roubando empregos dos brasileiros”. No vídeo, ele pergunta ainda se o imigrante teve treinamento militar e afirma que todo esse aporte aos haitianos faz parte de um programa do governo federal ligado ao ‘Foro de São Paulo’.

Veja também:  Movimento negro denuncia Bolsonaro à Comissão de Direitos Humanos da OEA

“Foi trazido pelos comunistas para o Brasil. Tá empregado enquanto pai e mãe da família aqui no Brasil tá desempregado, guerreiro”, diz, raivoso.

O haitiano em questão está no país há quatro meses e deixou, em seu país, sua esposa e seus filhos, para quem envia dinheiro mensalmente. Ele, assim como outros milhares de haitianos no Brasil, emigraram por conta da grave situação de miséria que se instaurou por lá principalmente depois do terremoto de 2010. Mais de metade das pessoas está desempregadas e a tragédia foi tão grave que chegou a matar 3% de toda a população.

Ao ser confrontado com esses e outros dados, como de que o Brasil é um dos países que historicamente mais recebeu imigrantes, Daniel – que responde na Justiça a um processo por roubo – fugiu das perguntas e tentou generalizar sua atitude, dizendo que não se trata de uma agressão a um imigrante em específico, mas um protesto a “isso que não sabemos o que está acontecendo”.

Percebendo que nenhum de seus argumentos seria capaz de justificar tamanha xenofobia, o agressor simplesmente entrou no carro e fugiu da entrevista, finalizando apenas como um grito um tanto quanto sugestivo para sua postura: “Selva!”.

Veja também:  Apoiador de Moro, juiz negou pedido para impedir nomeação de Eduardo Bolsonaro para embaixada dos EUA

Assista:

Foto: Reprodução 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum