Imprensa livre e independente
03 de setembro de 2018, 16h25

Ideb: São Paulo registra piora na qualidade da educação sob governo de Alckmin

Dados divulgados nesta segunda-feira mostram que o estado de São Paulo não cumpriu metas e perdeu a liderança da qualidade de ensino a nível nacional

Fotos Públicas
Sob o último governo do candidato à presidência Geraldo Alckmin (PSDB), o estado de São Paulo apresentou pioras nos índices que medem a qualidade da educação pública. De acordo com o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2017, divulgado nesta segunda-feira (3) pelo Ministério da Educação (MEC), São Paulo perdeu a liderança de qualidade de ensino a nível nacional das três etapas da educação básica. O Ideb consiste em um índice calculado a partir da relação entre taxas de rendimento escolar e média de desempenho em português e matemática medidos em uma prova nacional. Divulgado a cada dois...

Sob o último governo do candidato à presidência Geraldo Alckmin (PSDB), o estado de São Paulo apresentou pioras nos índices que medem a qualidade da educação pública. De acordo com o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2017, divulgado nesta segunda-feira (3) pelo Ministério da Educação (MEC), São Paulo perdeu a liderança de qualidade de ensino a nível nacional das três etapas da educação básica.

O Ideb consiste em um índice calculado a partir da relação entre taxas de rendimento escolar e média de desempenho em português e matemática medidos em uma prova nacional. Divulgado a cada dois anos, o indicador estabelece metas até 2021. O estado de São Paulo só bateu a meta dos anos iniciais  (5º ano / antiga quarta série): a meta era de 6,1 e São Paulo registrou 6,5.

No ensino fundamental, São Paulo passou de 4,7 para 4,8, nota que representa um crescimento abaixo do esperado e que acabou culminando na perda da liderança do estado a nível nacional.

A situação mais crítica é no ensino médio. Nesta etapa, a nota de São Paulo regrediu de 3,9 para 3,8 e ficou bem abaixo da meta, que era 4,4.

Veja também:  Estudantes fazem manifestação na Esplanada dos Ministérios em defesa da Educação

Os números enfraquecem um dos principais argumentos de campanha de Alckmin. Em entrevistas, o tucano quase sempre cita São Paulo como um exemplo em educação.

Índices nacionais

A nível nacional, a meta do Ideb foi cumprida apenas nos anos iniciais do ensino fundamental. A etapa alcançou 5,8, e a meta era 5,5.

No ensino médio o índice avançou 0,1 ponto, após ficar estagnado por três divulgações seguidas, chegando a 3,8. A meta para 2017 era 4,7.

Nos anos finais do ensino fundamental, do 6º ao 9º ano, a meta foi descumprida pela primeira vez em 2013 e não atingiu mais o esperado. Em 2017, com Ideb 4,7, o país não alcançou os 5 pontos esperados.

“Apesar do crescimento observado, o país está distante da meta projetada”, avalia o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo Ideb.

A íntegra do Ideb nacional e por estado está disponível aqui.

 

*Com Agência Brasil

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum