Imprensa livre e independente
05 de maio de 2016, 18h14

Imagem histórica: Mulher negra enfrenta mais de 300 neonazistas sozinha

Na Suécia, Tess Asplund cerrou os punhos em sinal de resistência diante de uma marcha de centenas de neonazistas. Foto viralizou no país e na Europa e já é considerada histórica Por Redação Nas galerias das fotos mais marcantes da história moderna, a registrada pelo fotógrafo David Lagerlöf no último domingo (1), na Suécia, certamente já tem um lugar reservado. A imagem é icônica: uma mulher negra, de punho cerrado, enfrenta uma marcha com mais de 300 neonazistas. O caso aconteceu durante uma manifestação do Movimento da Resistência Nórdica, na cidade de Borlänge, e a mulher em questão é Tess...

Na Suécia, Tess Asplund cerrou os punhos em sinal de resistência diante de uma marcha de centenas de neonazistas. Foto viralizou no país e na Europa e já é considerada histórica

Por Redação

Nas galerias das fotos mais marcantes da história moderna, a registrada pelo fotógrafo David Lagerlöf no último domingo (1), na Suécia, certamente já tem um lugar reservado. A imagem é icônica: uma mulher negra, de punho cerrado, enfrenta uma marcha com mais de 300 neonazistas.

O caso aconteceu durante uma manifestação do Movimento da Resistência Nórdica, na cidade de Borlänge, e a mulher em questão é Tess Asplund, de 42 anos.

“Foi um impulso. Eu estava tão zangada, tive de sair para a rua, Só pensava: nem pensar, eles não podem marchar aqui. Nenhum nazista vai marchar aqui, não está correto”, revelou ao jornal britânico The Guardian a mulher que compõe uma minoria negra do país europeu.

A imagem, que viralizou na Suécia e em diversos outros países, já está sendo comparada, por muitos, com uma fotografia famosa de 1985, de Hans Runesson, que retrata uma mulher batendo com a bolsa em um skinhead do partido neonazista Nortic Reich.

Reprodução

Reprodução

Veja também:  Haddad diz que não tem pretensão de ser candidato a prefeito de São Paulo novamente

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum