Imprensa livre e independente
18 de outubro de 2018, 19h33

Imprensa internacional repercute denúncia de caixa 2 na campanha de Bolsonaro

Os principais jornais do mundo, entre eles o The New York Times (EUA) e o The Guardian (Reino Unido), deram destaque às revelações feitas hoje de que dezenas de empresários estão envolvidos em um esquema de caixa 2 na campanha de Bolsonaro para disseminar fake news contra Haddad

Reprodução
O esquema milionário e ilegal de caixa 2 envolvendo empresários e a campanha de Jair Bolsonaro (PSL) para a disseminação de fake news no Whatsapp contra seu adversário, Fernando Haddad (PT), já é notícia mundial. O fato, revelado pela Folha de S. Paulo na manhã desta quinta-feira (18), ganhou espaço nos principais jornais do mundo, entre eles o The Guardian, do Reino Unido, e o The New York Times, dos Estados Unidos. O The Guardian replicou as informações do jornal brasileiro e chamou Bolsonaro de “representante da extrema-direita”, além de “populista pró-tortura que elogia a ditadura”. “O Brasil luta contra...

O esquema milionário e ilegal de caixa 2 envolvendo empresários e a campanha de Jair Bolsonaro (PSL) para a disseminação de fake news no Whatsapp contra seu adversário, Fernando Haddad (PT), já é notícia mundial.

O fato, revelado pela Folha de S. Paulo na manhã desta quinta-feira (18), ganhou espaço nos principais jornais do mundo, entre eles o The Guardian, do Reino Unido, e o The New York Times, dos Estados Unidos.

O The Guardian replicou as informações do jornal brasileiro e chamou Bolsonaro de “representante da extrema-direita”, além de “populista pró-tortura que elogia a ditadura”.

“O Brasil luta contra uma tsunâmi de notícias falsas em meio a uma eleição presidencial polarizada. De acordo com as alegações em uma matéria de capa da Folha de São Paulo, um dos principais jornais do Brasil, Bolsonaro tem recebido ajuda ilegal de um grupo de empresários brasileiros que estão patrocinando uma campanha para bombardear usuários do WhatsApp com notícias falsas contra Haddad”, diz a matéria do jornal inglês.

O  norte-americano The New York Times foi pela mesma linha. Na matéria, o jornal traz a denúncia da Folha e afirma que o que foi feito pelo candidato viola as leis brasileiras. “A disseminação de informações falsas nas redes sociais se generalizou nos preparativos para o segundo turno presidencial do dia 28 de outubro”, diz o artigo.

Veja também:  Future-se: o novo requentado

O também inglês The Telegraph foi outro jornal internacional a repercutir o escândalo e chamou Bolsonaro de “candidato favorito à extrema-direita”.

O espanhol El País ainda não fez matéria sobre as novas revelações, mas divulgou um artigo nesta quinta-feira (18) em que compara o capitão da reserva brasileiro ao presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte que, depois de se eleger presidente, comandou o extermínio de milhares de pessoas sob o argumento da guerra ao narcotráfico.

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum