Imprensa livre e independente
19 de agosto de 2018, 11h54

Janio de Freitas diz que governo desconsiderou um tratado e um pacto internacionais

O colunista cita os ministros Aloysio Nunes Ferreira e Torquato Jardim como interlocutores do desrespeito do governo ao Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos

Aloysio Nunes Ferreira. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
O jornalista Janio de Freitas, em sua coluna deste domingo (19), na Folha, aponta que, “por intermédio de dois ministros, o governo desconsiderou um tratado e um pacto internacionais, como se tornou usual aqui com a Constituição e com os códigos penais”, escreveu. Janio recorda que o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, disse que a comunicação do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos “tem caráter de recomendação”, apenas. Na verdade, o original diz que “the Committee requests”, ou seja, “o Comitê solicita”, e pede “que o Estado tome todas as medidas para assegurar que o autor...

O jornalista Janio de Freitas, em sua coluna deste domingo (19), na Folha, aponta que, “por intermédio de dois ministros, o governo desconsiderou um tratado e um pacto internacionais, como se tornou usual aqui com a Constituição e com os códigos penais”, escreveu.

Janio recorda que o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, disse que a comunicação do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos “tem caráter de recomendação”, apenas.

Na verdade, o original diz que “the Committee requests”, ou seja, “o Comitê solicita”, e pede “que o Estado tome todas as medidas para assegurar que o autor [do recurso] goze e exerça seus direitos políticos enquanto estiver na prisão”.

Janio lembra que a tradição brasileira não é a de desrespeitar os tratados internacionais e diz ainda que “o vale-tudo é doméstico”.

O colunista diz ainda que o ministro da Justiça, Torquato Jardim, atacou a ONU “por intromissão indevida” no caso Lula, comparando-o com o governo direitista israelense, que considerou haver “intromissão” da ONU e, claro, dos votantes condenatórios, no caso de ações militares de Israel contra os palestinos.

Veja também:  MEC publica nota sobre cobrança de mensalidade nas universidades públicas, apaga e se retrata

Leia a coluna completa de Janio de Freitas aqui

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum