Imprensa livre e independente
08 de julho de 2019, 11h22

Jobim diz que STF errou ao tolerar abusos da Lava Jato e crê na inocência de Lula

Na opinião do jurista, os vazamentos divulgados pelo The Intercept Brasil comprovam que Sérgio Moro teve uma conduta inadequada como juiz federal no Paraná

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil
Em entrevista a Wellington Ramalhoso, do UOL, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Nelson Jobim afirmou que a Corte falhou ao não conter excessos da Lava Jato. Além disso, em sua avaliação, os processos contra Lula “são controversos em termos de prova”. Jobim declarou acreditar na inocência do ex-presidente. Na opinião do jurista, os vazamentos divulgados pelo The Intercept Brasil comprovam que a operação cometeu abusos e que o ex-juiz Sérgio Moro teve uma conduta inadequada como juiz federal no Paraná. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo Questionado...

Em entrevista a Wellington Ramalhoso, do UOL, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Nelson Jobim afirmou que a Corte falhou ao não conter excessos da Lava Jato. Além disso, em sua avaliação, os processos contra Lula “são controversos em termos de prova”. Jobim declarou acreditar na inocência do ex-presidente.

Na opinião do jurista, os vazamentos divulgados pelo The Intercept Brasil comprovam que a operação cometeu abusos e que o ex-juiz Sérgio Moro teve uma conduta inadequada como juiz federal no Paraná.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Questionado sobre a situação de Lula, Jobim respondeu: “Os processos dele são controversos em termos de prova. Eu, particularmente, não creio que ele tenha participado efetivamente dessas coisas (casos de corrupção). Houve uma onda em relação ao problema do PT. E mudou o quadro. Hoje caminhamos para uma posição de centro-direita, de direita. Agora tem esses processos todos e essa decisão que tem que ser tomada pelo Supremo Tribunal no segundo semestre, quer em relação ao habeas corpus quer em relação ao problema da prisão em segunda instância ou prisão em trânsito em julgado. É possível que ele (Lula) venha a ser beneficiado com isso. Além do mais, ele já tem aquela redução da pena”, destacou.

Veja também:  Tribunal do RJ vai julgar habeas corpus de Flavio Bolsonaro no caso Queiroz

Em relação à imparcialidade de Sérgio Moro no julgamento de Lula, o ex-presidente do STF disse: “É difícil afirmar. Examinando isto que aparece nessas notícias do Intercept, que ao que tudo indica são corretas e verdadeiras, ele teve uma conduta não adequada para um juiz de direito. Em hipótese alguma, poderia um juiz de direito ter contatos com o Ministério Público ou mesmo com a defesa para orientar procedimentos. Isso não é nada bom. Seja qual for a solução que se dê para o processo judicial, fica a pecha do envolvimento do juiz no sentido de orientar e comandar a acusação”.

Governo Bolsonaro

Jobim também fez uma avaliação do governo. “Falta rumo. O governo Bolsonaro tem uma certa disfuncionalidade. Tem o núcleo econômico, cujo personagem é o Paulo Guedes. Alguns podem concordar ou discordar, mas é questão de mérito. O fato é que tem uma agenda econômica consistente e tem gente competente junto a ele. Tem o núcleo militar, que sofreu algumas avarias agora em relação a um personagem que era o Santos Cruz, mas é um grupo consistente, disciplinado. Embora fiquei muito surpreso quando vi a presença do general Heleno nesses movimentos de rua, fazendo discurso, que não é um modelo próprio tendo em vista a origem militar. O terceiro núcleo é o político, que estava sendo comandando pelo Onyx Lorenzoni, mas sem organização, sem articulação visível competente. Tanto que agora transfere-se essa função para o general Ramos”.

Veja também:  Vaza Jato, Fausto Silva e morte de Teori Zavascki: conspiração ou dúvida justificada?

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum