Imprensa livre e independente
31 de março de 2017, 10h07

Justiça decreta prisão de Protógenes Queiroz

Protógenes, que está condenado por ter vazado dados da Operação Satiagraha à imprensa, pediu asilo na Suíça, alegando perseguição. Ele hoje vive naquele país.

Protógenes, que está condenado por ter vazado dados da Operação Satiagraha à imprensa, pediu asilo na Suíça, alegando perseguição. Ele hoje vive naquele país. Da Redação com Informações da Folha Por conta de não comparecer a uma audiência, a juíza substituta da justiça Federal Andréia Moruzzi, decretou nesta quinta-feira (30) a prisão do ex-delegado da Polícia Federal e ex-deputado Protógenes Queiroz. Na audiência, que deveria acontecer em março, seria estabelecida a forma de ele cumprir pena a que já estava condenado anteriormente, de prestação de serviços, por ter vazado dados da Operação Satiagraha à imprensa. Depois da condenação, Protógenes pediu asilo na Suíça, alegando...

Protógenes, que está condenado por ter vazado dados da Operação Satiagraha à imprensa, pediu asilo na Suíça, alegando perseguição. Ele hoje vive naquele país.

Da Redação com Informações da Folha

Por conta de não comparecer a uma audiência, a juíza substituta da justiça Federal Andréia Moruzzi, decretou nesta quinta-feira (30) a prisão do ex-delegado da Polícia Federal e ex-deputado Protógenes Queiroz.

Na audiência, que deveria acontecer em março, seria estabelecida a forma de ele cumprir pena a que já estava condenado anteriormente, de prestação de serviços, por ter vazado dados da Operação Satiagraha à imprensa.

Depois da condenação, Protógenes pediu asilo na Suíça, alegando perseguição. Ele hoje vive naquele país.

“Como ele está na Suíça, está com passaporte retido e poderia cumprir pena apenas lá. Explicamos isso à Justiça. Ele não se negou a colaborar nem a cumprir a pena”, diz o advogado do ex-delegado, Adib Abdouni. “Além disso, ele fez uma cirurgia na perna e não poderia viajar ao Brasil para participar da audiência”, segue.

Veja também:  Caso vire embaixador nos EUA, Eduardo Bolsonaro quer Olavo de Carvalho como conselheiro

O advogado tentará suspender a medida por meio de habeas corpus.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum