Imprensa livre e independente
04 de abril de 2019, 19h36

Leilão Lula Livre de fotografias arrecada R$ 623.900

O objetivo do evento, segundo Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, é mostrar que Lula serviu ao povo brasileiro, e que ele está preso porque representa um projeto político

Foto: Paulo Pinto
O Leilão Lula Livre, que reuniu um acervo de 50 imagens autografadas pelo ex-presidente e assinada por 43 fotógrafos, arrecadou R$ 623.900. A quantia será destinada ao Instituto Lula. “Este leilão significou o resgate de mais de 40 anos de militância do presidente Lula. Isso, para nós, não tem preço”, declarou Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula. A última das 50 fotografias leiloadas registra Lula no dia de sua prisão, em 7 de abril de 2018, nos braços do povo. O registro, de Paulo Pinto, foi arrematado por R$ 65 mil, o maior lance da noite. Em relação à iniciativa,...

O Leilão Lula Livre, que reuniu um acervo de 50 imagens autografadas pelo ex-presidente e assinada por 43 fotógrafos, arrecadou R$ 623.900. A quantia será destinada ao Instituto Lula.

“Este leilão significou o resgate de mais de 40 anos de militância do presidente Lula. Isso, para nós, não tem preço”, declarou Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula.

A última das 50 fotografias leiloadas registra Lula no dia de sua prisão, em 7 de abril de 2018, nos braços do povo. O registro, de Paulo Pinto, foi arrematado por R$ 65 mil, o maior lance da noite.

Em relação à iniciativa, Okamotto disse: “O objetivo é mostrar, principalmente para a juventude, que o presidente Lula serviu ao povo brasileiro, e que ele está preso porque representa um projeto político”.

Os leilões aconteceram, simultaneamente, em São Paulo e em João Pessoa (PB), na noite desta quarta-feira (3).

Veja também:  Advogados de Lula pedem desbloqueio do espólio de Dona Marisa

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum