Imprensa livre e independente
13 de julho de 2016, 22h07

“Ler para não esquecer”: debate em SP fala sobre literatura e ditadura militar no Brasil

Escritores de livros que abordam o tema falam sobre como a ficção pode combater regimes autoritários.

Escritores de livros que abordam o tema falam sobre como a ficção pode contribuir para superar resquícios na sociedade do regime autoritário Por Redação A escritora Ivone Benedetti, autora do livro “Cabo de Guerra”, e o também escritor e jornalista Bernardo Kucinski, autor de “Os visitantes”, participarão nesta quinta-feira, (14) do debate “Ler para não esquecer: Ditadura militar e literatura no Brasil”. A ideia do bate papo é discutir de que maneira a literatura brasileira tem se voltado à memória sobre a ditadura civil-militar e como a produção ficcional sobre o período sombrio de nossa história pode contribuir para a...

Escritores de livros que abordam o tema falam sobre como a ficção pode contribuir para superar resquícios na sociedade do regime autoritário

Por Redação

A escritora Ivone Benedetti, autora do livro “Cabo de Guerra”, e o também escritor e jornalista Bernardo Kucinski, autor de “Os visitantes”, participarão nesta quinta-feira, (14) do debate “Ler para não esquecer: Ditadura militar e literatura no Brasil”.

A ideia do bate papo é discutir de que maneira a literatura brasileira tem se voltado à memória sobre a ditadura civil-militar e como a produção ficcional sobre o período sombrio de nossa história pode contribuir para a superação de um estado de coisas que parece rondar nossa sociedade, passadas três décadas da abertura política.

A jornalista Marsílea Gombata, da Carta Capital, irá mediar o debate que acontecerá na Fnac de Pinheiros, na capital paulista.

A organização do evento é uma parceria entre a Boitempo, a Carta Capital, a Fnac e a Companhia das Letras.

Serviço

Ler para não esquecer

Onde: Fnac Brasil – Praça dos Omaguás, 34

Quando: 14 de Julho de 2016 – 19h30

Foto de Capa: Boitempo Editorial

Veja também:  Plano Cohen, Rio-centro e agora se chama SSS

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum