Adolescente trans de 13 anos é espancada até a morte

Vítima, que passava por processo de transição de gênero, levou pauladas, socos, chutes e facadas; principal suspeito é rapaz de 17 anos, que foi apreendido

Uma adolescente trans de 13 anos que passava por processo de transição de gênero foi espancada até a morte na madrugada da segunda-feira (4). Keron Ravach, como gostava de ser chamada, morava em Camocim, cidade cearense a cerca de 370 km de Fortaleza, e completaria 14 anos no próximo dia 28. O principal suspeito de cometer o crime é um rapaz de 17 anos. Para matá-la, ele teria dado socos, pauladas, chutes e facadas.

A menina era descrita por amigos como tímida, segundo o jornal O Povo. No entanto, tinha sonho de virar digital influencer. Seu perfil no Instagram, com 55 seguidores, é fechado.

O principal suspeito do crime, um rapaz de 17 anos, foi identificado e apreendido. O delegado Herbert Ponte, da delegacia de Camocim contou ao O Povo que o garoto assumiu a autoria do crime.

Segundo seu relato, ele fez um programa sexual com Keron, mas não concordou com o valor cobrado. Por isso, teria desferido pauladas, socos, facadas e chutes contra a menina.

A escola de ensino fundamental Francisco Ottoni Coelho, onde Keron estudava, fez uma nota de pesar. “Neste momento de dor e indignação, toda a comunidade escolar se solidariza com os familiares, amigos, colegas e expressa as mais sinceras condolências”, diz o comunicado.

A Fórum entrou em contato com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará para obter mais detalhes do crime, mas não recebeu resposta até a publicação desta reportagem. O espaço continua aberto.

* Com informações do jornal O Povo

Avatar de Fabíola Salani

Fabíola Salani

Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.

Em 2021, escolha a Fórum.

Todos os dias Fórum publica de 80 a 100 matérias desde às 6h da manhã até à meia-noite. São 18h de textos inéditos feitos pela equipe de 10 jornalistas da redação e também por mais de três dezenas de colaboradores eventuais.

E ainda temos 3 programas diários no YouTube. O Fórum Café, com Cris Coghi e Plínio Teodoro, o Fórum Onze e Meia, com Dri Delorenzo e este editor, e o Jornal da Fórum, com Cynara Menezes. Além de vários outros programas semanais, como o Fórum Sindical, apresentado pela Maria Frô.

Tudo envolve custos. E é uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar neste ano, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

É fácil. Clique em apoiar e escolha a melhor forma de escolher a Fórum em 2021.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR