segunda-feira, 26 out 2020
Publicidade

Delegacia da Mulher em São Paulo passa a atender mulheres trans

Foi publicada nesta quinta-feira (13), no Diário Oficial do Estado de São Paulo, a resolução para que as delegacias de polícia de que prestavam assistência, exclusivamente, às mulheres, agora passem a atender, também, as mulheres transsexuais vitimadas pela violência doméstica, familiar e por crimes contra a dignidade sexual.

A medida leva em conta a identidade de gênero e não apenas a definição biológica, o que deve facilitar, e muito, o registro de ocorrências, garantindo a elas o direito a assistência e investigação de crimes praticados por questão de gênero.   

“A intenção foi deixar claro que nós não atendemos essas vítimas conforme o sexo biológico, mas sim pela maneira como elas se enxergam”, afirma a delegada Jamila Ferrari.

“Essa alteração vem em um momento crucial em que a violência doméstica que atinge mulheres cis e trans se mostra mais presente e grave no contexto de pandemia. Assim, a mudança supera o enquadramento biológico que deixava de acolher mulheres trans que sofrem a violência doméstica em razão de se identificarem com o gênero feminino e, portanto, sofrem as consequências das desigualdades geradas pelo machismo e LGBTfobia”, complementa a defensora pública Yasmin Oliveira.

Lelê Teles
Lelê Teles
Formado pela Universidade de Brasília, Lelê Teles é jornalista, roteirista e publicitário. É roteirista do programa Estação Periferia (TV Brasil) e da série De Quebrada em Quebrada (Prodav 09). Sua novela, Lagoas, foi premiada na Primeira Bienal de Cultura da UNE. Discípulo do Mestre Cafuna, prega o cafunismo, que é um lenitivo para a midiotia e cura para os midiotas.