Em documento, Biden afirma que países que não respeitarem as LGBT sofrerão sanções

O novo presidente dos EUA também pediu mais esforços dos países aliados e reafirmou que a defesa das vidas LGBT ao redor do mundo será uma das prioridades de seu governo

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, divulgou na última sexta-feira (5) um memorando presidencial com o objetivo de expandir a proteção dos direitos da população LGBT.

De acordo com o documento da Casa Branca, Biden vai buscar uma articulação internacional e, para aqueles países que insistirem em desrespeitar as pessoas LGBT, haverá possibilidade de sanções.

Memorando próLGBT divulgado pela Casa Branca

“Todos os seres humanos devem ser tratados com respeito e dignidade e devem ser capazes de viver sem medo, não importa quem sejam ou a quem amam. Os Estados Unidos estão na vanguarda dessa luta – falando abertamente e defendendo nossos valores mais queridos”, diz o documento divulgado pela Casas Branca.

O memorando presidencial é um documento simbólico, mas que tem peso político. Biden se elegeu com duas principais promessa em torno dos direitos LGBT: revogar a proibição de transexuais nas Forças Armadas, que ele já fez, e encaminhar e aprovar no Congresso o Ato de Igualdade, legislação com uma série de leis de proteção às LGBT.

Segundo informações divulgadas pela Reuters, o memorando ainda orienta as agências dos EUA a trabalharem mais de perto dos países que perseguem e criminalizam as vidas LGBT.

Para ler o memorando na íntegra, clique aqui.

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR