Justiça Federal proíbe advogado bolsonarista de fazer ataques homofóbicos nas redes

"Tu acha que teus pais queriam que você fosse gay, caso pudessem escolher?", escreveu Gustavo Cavalcante em uma das publicações

A Justiça Federal proibiu o advogado bolsonarista Gustavo Cavalcante de Almeida Costa, de Pernambuco, de fazer publicações homofóbicas nas redes sociais. O pedido partiu de Ação Civil Pública movida pela Ordem dos Advogados do Brasil no estado (OAB-PE).

As publicações do advogado que chamaram atenção da OAB foram feitas em março. Em uma delas, Gustavo Cavalcante diz que pais de homossexuais prefeririam que o filho fosse hétero.

“Pq tem viado que não gosta de Bolsonaro? Tu acha que teus pais queriam que você fosse gay, caso pudessem escolher? Seja feliz e não torça por bandidos, ou vai dizer que viadagem também desvia caráter?”, diz a publicação.

“Estou sendo severamente atacado por que falei que nenhum pai escolheria ter um filho gay, se pudesse. E verdade!!! Ninguém quer, mas isso não quer dizer que não se deve amar e respeitar”, publicou em um deles. Em outro, postou: “A comunidade Gay esta com raiva de mim, e do que eles xingam? DE VIADO!!!!! Como assim???? Piada pronta. E pra ficar pior e so o povinho de esquerda nojento. Querem impor uma ditadura Gay”, completou em outra publicação, questionando as críticas que recebeu.

Na decisão, a juíza federal Marina Cofferri diz que os comentários do advogado são discriminatórias e estipulou uma multa diária de R$ 1 mil em caso de novos ataques.

“Não pode o Poder Judiciário omitir-se do seu dever de garantir a fruição igualitária de direitos por todos, resguardando a manifestação das diferentes identidades que compõem a sociedade plural e complexa em que vivemos e inibindo comportamentos discriminatórios”, grafou a juíza na sentença.

Além de atacar a comunidade LGBTQIA+, Gustavo também coleciona publicações misóginas, em especial contra mulheres da esquerda. “Como sempre a mulher esquerdista ao invés de lutar por uma posição, como elas pregam, preferem herdar tudo de um homem hétero, branco, rico e poderoso.Foi assim com a Hillary, com Dilma, e agora com Kamala Harris. Hipocrisia, se vê por aqui”, afirmou.

Publicação de Gustavo Cavalcante no Facebook

O advogado afirmou ao UOL que não pretende recorrer da decisão e que apagou as publicações homofóbicas.

“A ação já perdeu o objeto pois desde aquela época não realizo mais postagens nesse sentido. A cultura do cancelamento é forte. O engraçado é que o xingamento que eu mais recebi foi de viado, gay, bicha enrustida”, disse.

“As supostas mensagens nem existem mais. Saliento que minhas supostas ofensas foram dirigidas a parte do público LGBTQIA+, que defende Lula, maior corrupto do Brasil, com unhas e dentes”, completou.

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.