Movimentos fazem atos simbólicos no Dia da Luta contra LGBTfobia

Prédios públicos também foram iluminados com as cores da bandeira LGBTQIAP+

Ativistas e movimentos LGBTQIAP+ realizaram alguns atos simbólicos pelo país nesta segunda-feira, marcada pelo Dia Internacional da Luta contra a LGBTfobia. Essa data foi escolhida para ser lembrada como um dia de luta porque foi em 17 de maio de 1990 que a Organização Mundial da Saúde (OMS) deixou de considerar a homossexualidade como um distúrbio mental ou doença.

Notícias relacionadas

O Conselho Popular LGBTI promoveu a mobilização 17M: Vida, Vacina e Trabalho, que levantou um hashtag #17MVidaVacinaTrabalho e espalhou faixas pelo país com os lemas “Fora Bolsonaro” e “Vacina Já”. Em Brasília, um grupo levou a mensagem para frente do Palácio do Planalto.

No Rio de Janeiro, manifestantes se reuniram em frente à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro com faixas e cartazes. O ato foi puxado por Casa Nem, Grupo Pela Vidda RJ, MUDi, MNU-LGBT, Fórum de Travesis e Transsexuais do Rio e coletivo Transparente.

Alguns prédios públicos, como a Câmara Municipal de Curitiba, a Câmara Municipal do Rio de Janeiro e o Palácio dos Bandeirantes (sede do governo de São Paulo), receberam luzes nas cores da bandeira LGBTQIAP+.

Confira os atos:

Ato realizado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro | Foto: Frente LGBTIA+
Ato realizado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro | Foto: Frente LGBTIA+
Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e latino-americanista convicto, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum América Latina