Oscar LGBT: Padre Júlio Lancelotti vence na categoria de “influencer do ano”

Ao agradecer o prêmio do POC AWARDS, o padre afirmou que sempre vai lutar "contra a homofobia, contra a transfobia, contra todo o preconceito e contra toda a discriminação"

Por meio do voto popular, o padre Júlio Lancelotti foi escolhido como o “influencer do ano” no POC AWARDS, premiação LGBT organizada pelo Gay Blog BR.

Entre as ações que ganharam destaque e levaram o padre a ser escolhido pelo público, está o fato de que, no fim de 2020, Júlio Lancelotti declarou que a “homofobia não vem de Deus” e que a “LGBTfobia é crime”.

Cabe destacar que o padre derrotou figurar como Federico Devito, ex-colírio da revista Capricho, e Neimar Keiga. Julio Lancelotti teve 63% dos votos.

No dia 31 de janeiro, o padre Júlio Lancelotti, durante a sua missa, agradeceu ao prêmio. “Sempre lutarei contra a homofobia, contra a transfobia, contra todo preconceito e contra toda discriminação. Todas as pessoas, homens e mulheres do grupo LGBTQIA+ são nossos irmãos e irmãs”.

Para conhecer os vencedores das outras categorias, clique aqui.

Após marretadas do Padre Júlio, prefeitura tucana retira as pedras do viaduto

Após a enorme repercussão negativa provocada pelos protestos do Padre Júlio Lancelotti, pároco da Igreja de São Miguel Arcanjo, em São Paulo, a prefeitura tirou todas as pedras embaixo de um viaduto próximo à avenida Salim Farah Maluf, no Tatuapé, zona leste da cidade, para evitar que pessoas em situação de rua durmam no local.

O viaduto amanheceu limpo nesta quarta-feira (3). A prefeitura mandou duas retroescavadeiras e acabou retirando todas as pedras. A administração do prefeito Bruno Covas (PSDB) não especificou quanto gastou com a obra, nem para a colocação e nem para a retirada das pedras.

Publicidade
Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR