Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
14 de julho de 2018, 10h19

Padre italiano deixa o sacerdócio para se casar com o ajudante paroquial

"Vivemos um amor a três. Eu, Paolo e Deus", definiu o religioso

Foto: Reprodução

Depois de dez anos de sacerdócio, o padre Giuliano Costalunga deixou a batina para construir uma vida a dois, (ou a três, como ele prefere dizer ), ao lado do marido Paolo Scala . Eles se conheceram dois anos atrás quando o religioso visitava pacientes em um hospital na pequena cidade de Selva di Progno e Piazza, na Itália. Um dos internados era o homem por quem viria a se apaixonar.

Giuliano convidou Paolo para ajudá-lo nas atividades paroquiais. O que antes era amizade se transformou em um grande amor. “Assim que percebi que o amava, deixei a paróquia, comecei a morar com ele e, embora não tivesse paróquia fixa, ainda era padre e celebrava missas quando me chamavam”, contou Costalunga às agências internacionais de notícias EFE e EPA. Em fevereiro deste ano, ele anunciou ao bispo de Verona que estava deixando oficialmente a Igreja Católica para viver ao lado de Paolo. Eles se casaram em abril, em uma cerimônia que chamou a atenção da mídia italiana.

“Deixei o ministério sacerdotal com dor, porque acredito que um homem que acredita em Deus e ama Jesus pode ser um bom sacerdote. Mas é claro que a Igreja Católica não permite, então, para mim, não foi possível continuar”, lamentou.

Nos dez anos que celebrou missas, ele enfatizava o amor comum a todas as raças, gêneros e orientações sexuais em sua pregação. “Não falava do amor homossexual, heterossexual, transexual. Falava do amor como um todo”.

O casal se mudou para as Ilhas Canárias, arquipélago espanhol, para viver em uma região onde o amor homoafetivo é mais respeitado. “É uma ilha maravilhosa, a ilha da eterna primavera, onde há dignidade, respeito e a liberdade termina onde a do outro começa. Onde podemos celebrar o amor com normalidade”, argumentou. O agora ex-sacerdote não abdicou da vida religiosa e da comunhão, pelo contrário, frequenta a missa todos os domingos na Paróquia de San Fernando de Maspalomas. “Vivemos um amor a três. Eu, Paolo e Deus. Para nós, é fundamental ter o espírito santo em nossas vidas”, sintetizou.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum