Fórumcast #19
08 de janeiro de 2018, 15h34

População trans sai às ruas em São Paulo para pedir dignidade e cidadania

Já está confirmado para 27 de janeiro o ato em referência ao Dia Nacional da Visibilidade Trans, comemorado no dia 29. Edição deste ano tem como lema a luta por dignidade e cidadania no país onde mais se mata pessoas trans no mundo 

Por Redação

Foi marcada para o próximo dia 27 a marcha de São Paulo em referência ao Dia Nacional da Visibilidade Trans, comemorado em 29 de janeiro. Organizada desde 2016 pelo Centro de Apoio e Inclusão Social de Travestis e Transexuais – CAIS, uma entidade da sociedade civil sem fins lucrativos, a “3ª Caminhada pela Paz: Sou Trans, Quero Dignidade e Cidadania” ocorrerá a partir das 14h na avenida Paulista, com concentração no vão livre do Masp.

Ajude a Fórum a fazer a cobertura do julgamento do Lula. Clique aqui e saiba mais.

Em seu primeiro ano, o tema da marcha foi “Sou Trans, Quero Dignidade e Respeito”. No ano seguinte, com um número maior de participantes, o ato saiu com o lema “Sou Trans, Quero Dignidade e Emprego”. Este ano, o foco do ato é dignidade e cidadania à população trans.

“Em 2018, objetivando mobilizar a sociedade em torno do debate para a promoção da cidadania de travestis, pessoas transexuais e intersexo. Assim, em 27 de janeiro próximo, pretendemos mobilizar a sociedade em torno do tema Sou Trans, Quero Dignidade e Cidadania. Desejamos afirmar que os direitos e deveres desta população estão interligados, sendo que o respeito e cumprimento de ambos contribuem para a construção de uma sociedade mais equilibrada e justa”, escreveram os organizadores no evento do ato no Facebook.

De acordo com a ONG Transgender Europe, o Brasil é o país onde mais se mata transexuais no mundo. Para se ter uma ideia, das 2.190 mortes registradas de transgêneros e transexuais em todo o planeta entre 2008 e junho de 2016, 868 mortes ocorreram no Brasil – cerca de 40%. Este número representa também mais de metade das mortes em toda a América Central e América do Sul.

Veja também:  Alberto Fernández rebate ataques de Bolsonaro: “racista, misógino e violento”

Leia também
Pelo direito de existir


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum