quarta-feira, 23 set 2020
Publicidade

Torcedor gay do Palmeiras quer o fim dos cantos homofóbicos contra o São Paulo

William: “Eu tenho 10 anos de ativismo LGBT e 32 anos como palmeirense. As duas coisas são parte indissociável de mim, e andam comigo por onde eu vou” – Foto: Arquivo Pessoal

Tradicional nos campos de futebol, os cânticos homofóbicos estão incomodando até mesmo torcedores dos times ganhadores. Segundo reportagem de Maurício Oliveira, do Globoesporte.com, o jornalista William de Lucca, 32 anos, é palmeirense fanático e vibrou com a vitória de seu time no clássico diante do São Paulo por 2 a 0, na quinta-feira (8), na arena alviverde. Mas ele não se sentiu totalmente feliz, em função dos cantos homofóbicos de torcedores do Palmeiras direcionados ao time adversário.

William é gay e se sentiu ofendido. Por isso, resolveu desabafar em seu Twitter. O resultado é que recebeu inúmeras mensagens de apoio de torcedores do Palmeiras e de outros times, mas também uma série de ofensas e ameaças. Ele tem tirado print desses comentários para registrar boletim de ocorrência na 4ª Delegacia de Delitos Cometidos por Meios Eletrônicos.

“Pessoalmente as pessoas são mais contidas, mas pela internet já disseram que me matariam, que me bateriam até eu parar de falar sobre o Palmeiras, porque eu estava “sujando” o nome do time. Eu tenho 10 anos de ativismo LGBT e 32 anos como palmeirense. As duas coisas são parte indissociável de mim, e andam comigo por onde eu vou. Não há nada no mundo que me impedirá de denunciar intolerância, onde quer que ela aconteça. É preciso falar quando calar é mais cômodo”, acrescentou.

O perfil oficial do São Paulo no Twitter foi um dos que deram “RT” na mensagem de William. O clube tricolor tem dado bom exemplo ao levantar bandeiras importantes, como a da luta contra o machismo, em manifesto divulgado no Dia Internacional da Mulher.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.