Imprensa livre e independente
06 de maio de 2019, 15h13

Líder da bancada da bala fala em impeachment de Bolsonaro: “Luta grande para a direita assumir o poder e ver esfacelando nossa imagem”

"O bombeiro fala que o ambiente está gasado, falta só a faísca para explodir. Ambiente gasado tem insatisfação política e insatisfação popular. A insatisfação política já está instalada, a olhos vistos. E se você juntar com a insatisfação popular, só falta uma faísca", diz Augusto Rosa (PR/SP) sobre Bolsonaro

Augusto Rosa (PR/SP), Bolsonaro e Mourão (Montagem)
Em entrevista a Raphael Di Cunto e Marcelo Ribeiro, na edição desta segunda-feira (6) do Valor Econômico, o deputado capitão Augusto Rosa (PR/SP), presidente da Frente Parlamentar da Segurança Pública – a bancada da bala, como é conhecida – disse que a relação ruim com o Congresso faz com que haja risco real de impeachment de Jair Bolsonaro (PSL/SP). “É triste uma luta tão grande para a direita assumir o poder e ver esfacelando a nossa imagem”, disse Rosa, que lidera a segunda maior bancada do Congresso e uma das principais bases de sustentação do governo. “Não é opinião pessoal,...

Em entrevista a Raphael Di Cunto e Marcelo Ribeiro, na edição desta segunda-feira (6) do Valor Econômico, o deputado capitão Augusto Rosa (PR/SP), presidente da Frente Parlamentar da Segurança Pública – a bancada da bala, como é conhecida – disse que a relação ruim com o Congresso faz com que haja risco real de impeachment de Jair Bolsonaro (PSL/SP).

“É triste uma luta tão grande para a direita assumir o poder e ver esfacelando a nossa imagem”, disse Rosa, que lidera a segunda maior bancada do Congresso e uma das principais bases de sustentação do governo.

“Não é opinião pessoal, é o sentimento geral da Casa. Estou com o Bolsonaro até o fim. Se tiver impeachment, eu voto contra, subo, defendo, brigo, uso meu super trunfo. Se afundar o barco, afundo junto. Mas vocês estão ouvindo alguma coisa diferente do que estou falando?”, afirmou.

O parlamentar, que renunciou ao cargo de vice-líder do governo no Congresso, diz que vê com Bolsonaro a repetição do filme que tirou do poder a ex-presidenta Dilma Rousseff (PT), tirada do poder por um golpe parlamentar.

Veja também:  Flávio Dino se solidariza com Vaza-Jato e diz que Moro age com “prepotência” e “autoritarismo”

Policial militar da reserva, o deputado paulista diz que o vice-presidente, general Hamilton Mourão (PRTB) – “muito elogiado na Câmara” – tem conversado longamente com os parlamentares e se interessou bastante por um perfil dos 513 deputados elaborado por ele na forma de um jogo de cartas para influenciar nas votações.

“O bombeiro fala que o ambiente está gasado, falta só a faísca para explodir. Ambiente gasado tem insatisfação política e insatisfação popular. A insatisfação política já está instalada, a olhos vistos. E se você juntar com a insatisfação popular, só falta uma faísca”, diz, ressaltando que, caso isso aconteça, “o Mourão assume sim”.

Leia a entrevista na íntegra

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum