Imprensa livre e independente
07 de outubro de 2017, 11h22

Líder do MBL é expulso de audiência por provocar tumulto

Conversas de WhatsApp revelaram que grupo pretendia agredir manifestantes contrários, ‘caso precise’. Da Redação Uma audiência pública que discutia o projeto Escola Sem Partido na Câmara de São José do Rio Preto (SP) na última segunda-feira (2) terminou em confusão. Isso porque, um dos líderes do MBL (Movimento Brasil Livre) que foi convidado a integrar o debate passou o debate todo provocando as pessoas que eram contrárias ao projeto. André Marujo, causou tanta confusão entre os presentes, que em determinado momento da audiência foi expulso do local pelos seguranças. Assista ao vídeo: Em Rio Preto líder do MBL foi expulso...

Conversas de WhatsApp revelaram que grupo pretendia agredir manifestantes contrários, ‘caso precise’.

Da Redação

Uma audiência pública que discutia o projeto Escola Sem Partido na Câmara de São José do Rio Preto (SP) na última segunda-feira (2) terminou em confusão. Isso porque, um dos líderes do MBL (Movimento Brasil Livre) que foi convidado a integrar o debate passou o debate todo provocando as pessoas que eram contrárias ao projeto.

André Marujo, causou tanta confusão entre os presentes, que em determinado momento da audiência foi expulso do local pelos seguranças. Assista ao vídeo:

Na quinta-feira (5), o Jornal DHoje Interior revelou conversas de um grupo de WhatsApp, criado por integrantes do MBL, onde apoiadores do projeto Escola Sem Partido planejavam agredir manifestantes contrários durante a audiência. “Estão preparados para enfiar porrada em comunistas caso precise? tbém? pq tem horas q as palavras não saem! uma mão ou uma cadeira impendem (sic) a voz de sair kkkkk”. Outro diz que teria dois amigos ‘policiais a paisana armados’.

Veja também:  Ligado a ruralistas, novo presidente da Funai já processou o órgão por "violação da honra"

A Atem (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Municipal) solicitou investigação por parte da promotoria com base nesses diálogos. “É muito grave pessoas estarem armadas em um local onde estão sendo discutidas ideias. Isso é coisa de grupo criminoso e o vereador que armou isso (Jean Dornelas, autor do projeto) deve ser responsabilizado”, afirmou Fabiano de Jesus, diretor da Atem.

*com informações do Jornal DHoje Interior

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum