Imprensa livre e independente
23 de março de 2015, 08h39

Mais de 1 milhão pedem a Obama que deixe de considerar a Venezuela ameaça

Segundo a ministra venezuelana de Relações Exteriores, Delcy Rodríguez, os Estados Unidos planejam ir além das sanções contra funcionários do país, mas prepara também um bloqueio econômico e comercial.

Segundo a ministra venezuelana de Relações Exteriores, Delcy Rodríguez, os Estados Unidos planejam ir além das sanções contra funcionários do país, mas prepara também um bloqueio econômico e comercial  Por Agência Lusa Mais de 1 milhão de venezuelanos assinaram pedido para que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anule decreto recente no qual considera a Venezuela “uma ameaça extraordinária e inusitada para a segurança nacional” norte-americana. “Quero anunciar a toda a pátria venezuelana, com profundo agradecimento, que nesse domingo, 22 de março, superamos 1 milhão de assinaturas do povo (…) a dizer a Obama que anule o decreto já”,...

Segundo a ministra venezuelana de Relações Exteriores, Delcy Rodríguez, os Estados Unidos planejam ir além das sanções contra funcionários do país, mas prepara também um bloqueio econômico e comercial 

Por Agência Lusa

Mais de 1 milhão de venezuelanos assinaram pedido para que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anule decreto recente no qual considera a Venezuela “uma ameaça extraordinária e inusitada para a segurança nacional” norte-americana.

“Quero anunciar a toda a pátria venezuelana, com profundo agradecimento, que nesse domingo, 22 de março, superamos 1 milhão de assinaturas do povo (…) a dizer a Obama que anule o decreto já”, disse o presidente da Câmara Municipal de Libertador e porta-voz do Partido Socialista Unido da Venezuela.

Jorge Rodriguez falou à imprensa nas proximidades da Praça Bolívar, de Caracas, onde o governo venezuelano instalou um dos pontos de coleta de assinaturas.

No dia 9 de março, o presidente dos Estados Unidos determinou a aplicação de novas sanções a sete altos funcionários venezuelanos – entre eles o diretor-geral dos Serviços Secretos e o diretor da Polícia Nacional –, que acusa de violação dos direitos humanos. Eles ficam proibidos de entrar nos Estados Unidos e têm os bens congelados.

Obama declarou situação de emergência nacional nos EUA devido ao “extraordinário risco” que representa a situação na Venezuela para a segurança norte-americana.

Segundo a ministra venezuelana de Relações Exteriores, Delcy Rodríguez, os Estados Unidos planejam ir além das sanções contra funcionários venezuelanos, e prepara um bloqueio econômico e comercial.

Foto de capa: Agência Lusa

Veja também:  Frota compartilha foto de hambúrguer e alfineta Eduardo Bolsonaro: "Pra ser embaixador é preciso ter qualificação"

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum