Imprensa livre e independente
20 de setembro de 2018, 10h33

Marina, Amoêdo e Alckmin perdem votos dos antipetistas ricos para Bolsonaro

Marina foi a que mais perdeu. Alckmin, até então o dono natural deste eleitorado, também não tem tido sucesso nessas eleições

Marina Silva. Foto: Reprodução TV Globo
Nos últimos 15 dias de campanha, os números do Ibope mostram que, tanto Marina Silva (Rede) quanto João Amoêdo (Novo) perderam parte do patrimônio dos votos para eleitores mais ricos. Marina, que era a quem tinha mais, foi a que mais perdeu. Mais da metade da intenção de votos da candidata entre os que têm renda familiar de mais de cinco salários mínimos, foram de 8% para 3%. Amoêdo, que tem o seu melhor desempenho entre os mais ricos, também perdeu, e foi de 10% para 6%. Jair Bolsonaro (PSL), por sua vez, ampliou ainda mais a influência entre os endinheirados....

Nos últimos 15 dias de campanha, os números do Ibope mostram que, tanto Marina Silva (Rede) quanto João Amoêdo (Novo) perderam parte do patrimônio dos votos para eleitores mais ricos.

Marina, que era a quem tinha mais, foi a que mais perdeu. Mais da metade da intenção de votos da candidata entre os que têm renda familiar de mais de cinco salários mínimos, foram de 8% para 3%. Amoêdo, que tem o seu melhor desempenho entre os mais ricos, também perdeu, e foi de 10% para 6%.

Jair Bolsonaro (PSL), por sua vez, ampliou ainda mais a influência entre os endinheirados. O presidenciável passou de 30% das intenções de voto para 41%.

Tudo indica que Bolsonaro está herdando os votos dos antipetistas que não o tinham como primeira opção. Geraldo Alckmin (PSDB), até então o dono natural deste eleitorado, não tem tido sucesso nessas eleições, diante do grande desgaste do seu partido. Alckmin manteve a mesma intenção de voto entre os mais ricos: 8%.

Veja também:  PT aciona Receita Federal para que órgão investigue ganhos financeiros de Dallagnol e Pozzobon

Com informações do Blog de Julia Dualib

 

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum