Imprensa livre e independente
17 de junho de 2016, 12h36

Massacre em Orlando: atirador trocou mensagens com a esposa durante ataque a boate

De acordo com as investigações, Omar chegou a perguntar se a mulher havia visto os noticiários, enquanto mantinha reféns dentro de um banheiro.

De acordo com as investigações, Omar chegou a perguntar se a mulher havia visto os noticiários, enquanto mantinha reféns dentro de um banheiro Por Redação Investigações apontam que Omar Mateen trocou mensagens com a esposa, Noor Salman, durante o ataque à boate Pulse, que deixou dezenas de mortos. O crime aconteceu no último domingo (12) em Orlando, nos Estados Unidos. Ele chegou a perguntar se a mulher havia visto os noticiários, enquanto mantinha reféns dentro de um banheiro. Em resposta, Salman teria dito que o amava e tentado ligar algumas vezes para o marido. Cresce a pressão das autoridades sobre a esposa do atirador, que...

De acordo com as investigações, Omar chegou a perguntar se a mulher havia visto os noticiários, enquanto mantinha reféns dentro de um banheiro

Por Redação

Investigações apontam que Omar Mateen trocou mensagens com a esposa, Noor Salman, durante o ataque à boate Pulse, que deixou dezenas de mortos. O crime aconteceu no último domingo (12) em Orlando, nos Estados Unidos. Ele chegou a perguntar se a mulher havia visto os noticiários, enquanto mantinha reféns dentro de um banheiro. Em resposta, Salman teria dito que o amava e tentado ligar algumas vezes para o marido.

Cresce a pressão das autoridades sobre a esposa do atirador, que poderia ter conhecimento dos planos para o ataque. Segundo foi apurado, ela teria acompanhado Mateen em reconhecimento do local e proximidades da boate, e também em uma feira de armas onde ele gastou milhares de dólares poucas semanas antes do massacre.

Omar é norte-americano e teria se radicalizado pela internet, onde teve contato com preceitos do Estado Islâmico. O grupo extremista assumiu a autoria dos atentados na segunda-feira (13) pela rádio Al-Bayan.

Veja também:  Diplomata, Marcelo Calero dispara contra fala de Bolsonaro sobre embaixadores brasileiros

Foto de capa: Reprodução

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum