Imprensa livre e independente
11 de maio de 2018, 10h54

“Mataram como quem extermina porcos”, diz Hildegard Angel sobre a ditadura

Jornalista reagiu às revelações de execuções assinadas e autorizadas por Geisel: “E ainda há quem queira o retorno dos militares ao poder”

A jornalista Hildegard Angel reagiu, em sua conta no Twitter, às revelações dos documentos da CIA sobre as execuções institucionalizadas e assinadas pelo ex-presidente ditador Ernesto Geisel. Ela é irmã de Stuart Angel, estudante de economia morto pela ditadura em 1971, e filha de Zuzu Angel, que também foi assassinada em 1976 pela ditadura enquanto buscava por seu filho. Zuzu Angel foi tema, em 1977, da canção “Angélica”, de Chico Buarque e Miltinho, e também do filme “Zuzu Angel”, de Sérgio Rezende, de 2006. Decidiam matar brasileiros às centenas, como quem extermina porcos, galinhas, os jovens brasileiros mais preparados, inteligentes,...

A jornalista Hildegard Angel reagiu, em sua conta no Twitter, às revelações dos documentos da CIA sobre as execuções institucionalizadas e assinadas pelo ex-presidente ditador Ernesto Geisel. Ela é irmã de Stuart Angel, estudante de economia morto pela ditadura em 1971, e filha de Zuzu Angel, que também foi assassinada em 1976 pela ditadura enquanto buscava por seu filho.

Zuzu Angel foi tema, em 1977, da canção “Angélica”, de Chico Buarque e Miltinho, e também do filme “Zuzu Angel”, de Sérgio Rezende, de 2006.

Decidiam matar brasileiros às centenas, como quem extermina porcos, galinhas, os jovens brasileiros mais preparados, inteligentes, cultos, porque divergiam no pensamento e na ideologia. E ainda há quem queira o retorno dos militares ao poder.

Veja também:  Após facada, Bolsonaro disse no hospital que eleição estava ganha: "Agora não precisa fazer mais nada"

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum