CRISE CLIMÁTICA

Ciclones extratropicais podem ficar cada vez mais fortes e frequentes, aponta estudo

As consequências do efeito estufa podem resultar em catástrofes ambientais simultâneas

O ciclone extratropical que atingiu o México ganhou força para se tornar um furacão nível 5.Créditos: /Pixabay
Escrito en MEIO AMBIENTE el

Os ciclones extratropicais, que estão devastando diversos lugares do mundo, como aconteceu no último mês de setembro no Vale do Taquari, estado do Rio Grande do Sul, são um fenômeno natural que, cada vez mais, irão causar destruição.

Isso ocorre por conta da crise climática que assola o planeta. O ciclone Otis, que atingiu Acapulco, no México, na noite da última quarta-feira (25), ganhou força o suficiente para se transformar em um furacão de categoria 5, a maior da escala Saffir-Simpson.

A Universidade de Tsinghua, da China, desenvolveu um estudo, junto do Instituto de Estudos e Mudanças Climáticas, que demonstra o crescimento da gravidade que os ciclones tropicais poderão atingir, assim como o aumento de sua frequência.

Isso se dá, de acordo com a pesquisa, por conta da alta da temperatura dos oceanos e do derretimento das geleiras polares. 

"Estima-se que o aquecimento global causado pelas atividades humanas seja cerca de 1,0 °C acima dos níveis pré-industriais. Já conseguimos observar o impacto disso na atividade dos ciclones tropicais", indica a pesquisa.

Esse tipo de fenômeno costuma acontecer entre os meses de julho e setembro, porém, estão ocorrendo cada vez mais cedo. Segundo o estudo, o adiantamento de dois ou três dias, a cada ano, desses eventos climáticos, totalizam 2 semanas de antecipação em 40 anos.

Dentre as regiões que mais são atingidas por essas mudanças climáticas, estão o Oeste do Pacífico Norte, o Pacífico Sul, o Golfo do México e a costa Atlântica da Flórida e do Caribe.

A pesquisa utilizou dados disponíveis através do monitoramento realizado por outros projetos e simulações de modelos climáticos do planeta. Para a equipe do estudo, a principal razão por trás dessa situação é o efeito estufa e suas consequências.

“As nossas descobertas têm implicações diretas no que diz respeito à gestão de riscos de desastres em um clima cada vez mais aquecido".

A maior preocupação desencadeada pelas alterações climatológicas é a possibilidade de que diversos eventos catastróficos aconteçam simultaneamente, causando um impacto muito maior do que quando acontecem individualmente.