IMPRESSIONANTE

VÍDEO: Tornado de fogo atinge norte da Austrália

As condições climáticas para que o fenômeno ocorra são extremamente raras e têm ligação com excesso de incêndios florestais

O tornado de fogo acontece devido à rapidez e à intensidade do calor gerado pelos incêndios florestais.Créditos: /Freepik
Escrito en MEIO AMBIENTE el

A crise climática devido às altas temperaturas no planeta continua causando fenômenos atmosféricos preocupantes. Um vídeo mostra um tornado de fogo que atingiu o norte da Austrália

A gravação foi publicada em 31 de outubro. O evento ambiental aconteceu em uma fazenda localizada em Tennant Creek e filmado por funcionários da empresa SilverBridle Contracting, que estavam realizando trabalhos na região. 

O Canadá também sofreu com um tornado de fogo. Um vídeo divulgado pelos Bombeiros da Colúmbia Britânica na última terça-feira (7), mostra o fenômeno acontecendo em cima de um lago. 

Há uma onda calor extremo e de incêndios florestais no país. O tornado apareceu numa há 280 km de Vancouver, no dia 17 de agosto. O vídeo foi gravado pelos bombeiros, que estavam tentando conter as chamas na região de Downtown Lake.

Os tornados de fogo surgem devido ao extremo calor causado pelos incêndios florestais, somado da baixa umidade e ao “espaço vazio” que a intensidade e a rapidez das altas temperaturas deixam. Assim, uma corrente de ar cria uma corrente ascendente, o que ocasiona o fogo no tornado. 

"Na semana passada, uma frente fria passou pela província após vários dias de tempo quente e seco", explicam os bombeiros. Terreno complexo e ventos descendentes também contribuíram, segundo o comunicado.

Segundo as autoridades, o fenômeno climático é extremamente raro e dificilmente as condições se tornam propícias para que ele aconteça na Colúmbia Britânica. 

Efeitos destrutivos da crise climática: 2023 é um dos anos mais quentes da história

Um relatório divulgado pela Nasa, em agosto, apontou o mês de julho de 2023 como o mais quente já registrado pela organização, que documenta a temperatura do planeta desde 1880. 

Segundo o levantamento, o mês de julho foi 0,24ºC mais quente do que todos os outros meses de julho, além de ser 1,18ºC mais quente do que a média mensal de calor de 1951 a 1980. 

“Os dados da Nasa confirmam o que bilhões em todo o mundo literalmente sentiram: as temperaturas em julho de 2023 tornaram o mês no mais quente já registrado”, disse no relatório Bill Nelson, administrador da Nasa.

Em 2023, o fenômeno climático El Niño favoreceu as altas climáticas no planeta, por conta da variação de temperatura nos oceanos. Mesmo assim, a Nasa prevê que os maiores impactos devido a essa condição aconteçam apenas em fevereiro, março e abril de 2024.