CRISE CLIMÁTICA

Preocupação dos brasileiros com meio ambiente aumenta diante da onda de calor, diz pesquisa

Segundo o estudo, interesse da população em temas relacionados às mudanças climáticas vem crescendo

Brasileiros têm se preocupado mais com questões ambientais.Créditos: Foto. Freepik
Escrito en MEIO AMBIENTE el

A crise climática, conforme há muitos anos se discute, vem atingindo o meio ambiente e áreas urbanas de forma crescente. No entanto, a preocupação com esses temas aumentou consideravelmente após o surgimento de diversas catástrofes ambientais que vêm atingindo todo o mundo. 

Após a negligência com a questão ambiental observada no governo de Jair Bolsonaro, quando foram registrados os maiores índices de desmatamento da Floresta Amazônica, o povo brasileiro voltou a se preocupar com temas relacionados à preservação do meio ambiente. 

Uma pesquisa chamada "What Worries The World?", feita pela Ipsos, revelou que há crescimento um crescimento do interesse de brasileiros por temas relacionados à crise climática.  

De acordo com o levantamento, em relação ao mês de setembro, o aumento na pontuação de brasileiros preocupados com ameaças ao meio ambiente foi de 5 pontos percentuais, totalizando 15% em outubro; quanto à preocupação com a crise climática, o índice saltou 7 pontos, representando 17% da população.

"É inegável que o brasileiro tem sentido na pele os reflexos destes problemas", afirma Marcos Calliari, CEO da Ipsos.

"Recordes de altas temperaturas no fim do inverno e agora, novamente, nesta semana; oscilações térmicas que chegam a bater variações de 20° de um dia para outro; a seca dos rios Amazonas e Negro, que atingiram o menor volume de água da história e já afetam 633 mil pessoas na região... Tudo isso deixa claro que o tema está sendo cada vez mais impactando a vida da população e sendo encarado com a preocupação que merece", explica.

No entanto, ainda outras preocupações sociais que ganham maior espaço entre os brasileiros. Segundo a pesquisa, o tópico líder da preocupação da população é a desigualdade social e a pobreza (43%), seguidas da violência e dos crimes (39%) e da saúde pública, com 34%. 

Pelo fato do questionário pedir para que os entrevistados dissessem suas 3 principais preocupações, o resultado ultrapassa o índice de 100%. Os participantes eram pessoas maiores de 18 anos, entrevistadas entre 22 de setembro e 6 de outubro, totalizando 1000 voluntários.