TÓXICOS

Agrotóxicos não permitidos estão presentes em 25% dos alimentos vegetais, afirma Anvisa

Agência divulgou levantamento a partir da análise de itens presentes na dieta básica dos brasileiros; número diminuiu desde 2019

Um a cada quatro vegetais pode conter resíduos não permitidos de agrotóxicosCréditos: Pxhere
Escrito en MEIO AMBIENTE el

Nesta quarta-feira (6), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) divulgou os resultados do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (Para), que mostram que, em 2022, 25% dos alimentos de origem vegetal que fazem parte da dieta básica do país continham resíduos de agrotóxicos em inconformidade, isto é, com a presença de um agrotóxico não autorizado ou com resíduos acima do limite permitido.?

Foram 1772 amostras analisadas, das quais 41,1% não continham resíduos. Em 33,9%, os resíduos estavam dentro do permitido. Incluídos nos 25% em não conformidade, 0,17%, o equivalente a 3 amostras, apresentaram risco agudo. Isso acontece quando a quantidade de agrotóxico presente em um alimento é suficiente para, em menos de 24h, causar dano à saúde.

As outras amostras em inconformidade apresentam risco crônico, quando o consumo diário ao longo da vida leva a danos à saúde.

Número de alimentos contaminados diminuiu

A Anvisa divulgou também os resultados do Para no Ciclo 2018/2019. A Agência explica que, em 2020 e 2021, as análises foram interrompidas devido à pandemia de Covid-19, por isso o salto para 2022.

A comparação entre os levantamentos mostra que o número de resíduos de agrotóxicos em alimentos de origem vegetal diminuiu entre os três anos. Em 2018 e 2019, foram analisadas 3.296 amostras, das quais apenas 33,2% não continham resíduos.

Dentro do limite permitido figuraram 41,2% das amostras e 25,6% apresentaram inconformidade. Entre elas, 18, ou 0,55% das amostras, representaram risco agudo para o consumidor ou produtor.

A Anvisa explica que “as não conformidades são consideradas infrações sanitárias e representam risco principalmente à saúde dos agricultores, pela aplicação de agrotóxicos em desacordo com as recomendações de uso ou sem seguir essas recomendações”.

A Agência disse ainda que os resultados mostram que “os alimentos de origem vegetal consumidos são seguros quanto aos potenciais riscos de intoxicação aguda e crônica” e que “as situações de risco agudo encontradas foram pontuais e de origem conhecida".

Quais alimentos foram analisados

O Para de 2022 contou com a análise de novos alimentos processados. Foram eles o café em pó, a aveia e o leite de soja. Outra novidade foi a inclusão de alimentos de origem principalmente importada, como a pera.

Além dos já citados, entre os dois ciclos, 2018/2019 e 2022, serviram de amostra trigo, milho, maçã, uva, morango, banana, laranja, mamão, maracujá, couve, repolho, brócolis, pepino, abobrinha, pimentão, quiabo, feijão, amendoim, cebola, batata e mandioca.