SUSTENTABILIDADE

Preço das energias sustentáveis cai mais que o de combustíveis fósseis

O custo médio global da energia solar fotovoltaica caiu 89%, com o valor de 0,0049 dólares/kWh

O custo médio da energia eólica onshore é menos da metade do valor do combustível fóssil mais barato de 2022.Créditos: Pixabay
Escrito en MEIO AMBIENTE el

A Agência Internacional para Energias Renováveis (Irena) produziu um relatório sobre energias renováveis contratadas em 2022 demonstrando que 86% delas tiveram queda no preço maior do que as energias produzidas através de combustíveis fósseis

Embora o ano de 2022 tenha sido marcado pela inflação e aumento dos custos de materiais e equipamentos utilizados na instalação e manutenção das energias renováveis, elas se mantiveram em queda de valores. 

No entanto, a energia eólica offshore, produzida através dos parques eólicos localizados no mar, teve aumento de 2%. A energia hidrelétrica também, com aumento de 18%. Ambas as situações podem ser justificadas pela falta de investimento por parte do governo chinês, no caso da offshore, e pelas obras de alto valor, no caso das hidrelétricas, de acordo com a Irena.

Outro ponto destacado é a diminuição do valor das energias sustentáveis, principalmente a solar e a eólica. Isso se dá devido ao avanço tecnológico, o qual proporciona recursos mais acessíveis para a instalação e manutenção. 

O custo médio global da energia solar fotovoltaica caiu 89%, com o valor de 0,0049 dólares/kWh. Quanto à energia eólica onshore, o índice marca 69% de queda, para 0,033 dólares/kWh, menos da metade do valor da opção de combustível fóssil mais barata em 2022. 

Com isso, a economia que todos os países do mundo tiveram é calculada em US$ 520 bilhões no ano passado, algo em torno de R$ 2,5 trilhões, devido ao baixo custo das energias renováveis; aos países que não participam da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), normalmente os que estão em processo desenvolvimento, as energias sustentáveis implantadas em 2022 tendem a trazer a economia de US$ 580 bilhões ao longo de sua utilização.

“O ano de 2022 foi um verdadeiro ponto de virada na implantação de energias renováveis, uma vez que a sua competitividade em termos de custos nunca foi tão grande, apesar da persistente inflação dos custos de mercadorias e equipamentos em todo o mundo”, afirma Francesco La Cama, diretor da Irena. 

Porém, o diretor alerta sobre o impacto das energias renováveis sobre o aquecimento global, que ainda é baixo, pois é necessário que sejam instaladas 1000 GW de energia renovável ao redor do globo para que o aumento de temperatura permaneça em 1,5ºC, nível três vezes maior do que o registrado no ano de 2022.