AÇÕES AMBIENTAIS

Dia da Amazônia: Alertas de desmatamento registram queda de 71% em agosto

Em evento de celebração, governo Lula anunciou a demarcação de Terras Indígenas e repasse de verba para conter incêndios florestais

Desmatamento na Floresta Amazônica.Créditos: Reprodução/Inpe
Escrito en MEIO AMBIENTE el

De acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o número de alertas de desmatamento na Floresta Amazônica caiu 71% no mês de agosto, em comparação ao mesmo período do ano passado. Os números foram obtidos pelo Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter).

No X (antigo Twitter), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) comemorou a queda:

Tweet do presidente Lula sobre queda no desmatamento.

A notícia foi divulgada no Dia da Amazônia, data dedicada não só à celebração, mas, em meio ao avanço do desmatamento sobre a floresta, também de reflexão e denúncias. 

Tweet do presidente Lula defendendo a Floresta Amazônica.

Demarcação de Terras Indígenas

Em evento de celebração no Palácio do Planalto, Lula e as ministras Sônia Guajajara, do Ministério dos Povos Indígenas, e Marina Silva, do Meio Ambiente, anunciaram a demarcação de duas terras indígenas: Rio Gregório e Acapuri de Cima.

Rio Gregório fica localizada  no município de Tarauacá, no Acre. A população é de 560 indígenas dos povos Katukina Pano e Yawanawá. 

Arapuri de Cima está situada nos municípios de Fonte Boa e Jutaí, no Amazonas. A população é de 500 indígenas do povo Kokama.

Além das demarcações, o governo também:

  • Decretou a criação da Unidade de Conservação Floresta Nacional do Parima, no município de Amajari, em Roraima;
  • Ampliou em 54 mil hectares a Unidade de Conservação Parque Nacional do Viruá, no município de Caracaraí, também em Roraima
  • Ampliou a Estação Ecológica de Maracá, localizada nos municípios de Alto Alegre e Amajari, em Roraima, em 50,7 mil hectares. A estação tem o objetivo de preservar 22 espécies ameaçadas de extinção.

Repasse de verba para conter incêndios florestais

No mesmo evento, Lula também anunciou o repasse de até R$ 600 milhões do Fundo Amazônia aos municípios, para ações de combate ao desmatamento e aos incêndios florestais. O valor da verba será proporcional à redução de destruição da floresta em cada município, e deve ser investida em produção sustentável, regularização fundiária e mais ações contra o desmatamento. 

Mais ações ambientais 

Um edital de R$ 25 milhões destinado à restauração da bacia hidrográfica do Xingu foi oficializado pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

A redução do desmatamento na Amazônia é urgente, visto que a floresta, a cada dia, se aproxima do seu ponto de não retorno -momento em que a floresta perde sua capacidade de se autorregenerar.